A Federação da Agricultura e Pecuária do Estado de Santa Catarina (FAESC) e o Sebrae/SC promoverão nesta sexta-feira, dia 12, no Parque de Exposições Conta Dinheiro, em Lages, o Seminário Estadual de Lançamento do Programa Desenvolvimento da Bovinocultura de Corte Catarinense. A programação será coordenada pelo presidente da FAESC José Zeferino Pedrozo, iniciará às 10 horas da manhã e terá a presença do governador João Raimundo Colombo, lideranças do agronegócio e cerca de 700 produtores rurais. 

O ponto alto da programação será o lançamento do avançado programa de Assistência Técnica e Gerencial (ATeG) em pecuária de corte sob os auspícios do Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (SENAR/SC) e do Serviço Brasileiro de Apoio a Micro e Pequena Empresa (SEBRAE/SC).

A programação iniciará com manifestações de autoridades. Na sequência, o economista da FARSUL Antônio da Luz explanará sobre “Análise e perspectiva para o mercado da carne bovina”. 

À tarde, após intervalo para almoço, a partir das 13h30, a palestra “Genética x ambiente = produto e produtividade” será ministrada pelo professor da UFRGS José Fernando Piva Lobato. 

O seminário encerrará com a palestra “ATeG Pecuária de Corte Sistema FAESC/SENAR-SC e considerações finais” com representantes do Sistema FAESC/SENAR (Antonio Marcos Pagani de Souza), do SIA Serviço de Inteligência em Agronegócio (Davi Teixeira) e do SEBRAE. 

O PROGRAMA

O programa ATeG em Pecuária de Corte atende, atualmente, 550 produtores divididos em 22 municípios das regiões do planalto serrano, oeste, norte, meio oeste e extremo oeste. São eles: Água Doce, Anita Garibaldi, Bom Retiro, Bom Jardim da Serra, Campo Belo do Sul, Campo Erê, Campos Novos, Capinzal, Chapecó, Correia Pinto, Curitibanos, Lages, Major Vieira, Otacílio Costa, Papanduva, Rio Negrinho, São Joaquim, Santa Cecília, São José do Cerrito, São Miguel do Oeste, Urubici e Urupema. 

O vice-presidente de finanças da FAESC e coordenador do ATeG em pecuária de corte, Antônio Marcos Pagani de Souza, observa que o programa não tem custos para os produtores rurais. Os pecuaristas atendidos recebem uma visita técnica e gerencial por mês pelo período de dois anos. “A nossa intenção é melhorar o desenvolvimento das propriedades catarinenses. Toda a cadeia produtiva da pecuária de corte é assistida, desde genética, manejo adequado, melhoria da alimentação e também das instalações das propriedades”, explica. 

VISITAS TÉCNICAS 

As visitas técnicas e gerenciais têm foco na transmissão de conhecimentos relacionados à gestão das empresas rurais e técnicas de manejo voltadas às atividades pecuárias. “Em cada propriedade são levantados dados e identificadas as melhorias que podem ser aplicadas. Durante as visitas, os técnicos de campo repassam orientações sobre cálculos de custos de produção e indicadores de melhorias. Levam para os produtores informações importantes para aplicar e ampliar, cada vez mais, a produtividade”, salienta o presidente José Zeferino Pedrozo. 

O superintendente do SENAR/SC Gilmar Antônio Zanluchi reforça que o ATeG Pecuária de Corte representa um avanço na capacitação dos produtores rurais, preparando-os para a condução das atividades pecuárias com uma visão empresarial e o emprego de avançadas técnicas de gestão e controle. 

Segundo a supervisora estadual do ATEG Pecuária de Corte, Paula A. Dias Coimbra Nunes, todos os dados gerenciais coletados são lançados em um software utilizado nacionalmente e que abriga informações completas de propriedades de todo o País. “Com essas informações é possível fazer comparativos e tomar decisões mais assertivas. A partir disso, os empresários rurais terão modelos para melhorar a sua rentabilidade”.

MB Comunicação - Assessoria de Imprensa