A colega Olivete Salmoria publicou em seu blog que o prefeito de Lages, Antônio Ceron, protocolou nesta segunda-feira (15/05) seu pedido de desligamento dos conselhos fiscal da Celesc e da Casan, dos quais fazia parte já há um bom tempo, recebendo salário bruto superior a R$ 5 mil de cada. 

O vereador Osni Freitas (Bugre, do PDT), protocolou na semana passada no Ministério Público pedido de esclarecimento se esse acúmulo de funções (ser conselheiro remunerado de duas estatais, além de prefeito de Lages) não seria ilegal. Em blog da cidade, Ceron respondeu que havia consultado seus assessores jurídicos ainda no ano passado. E que não havia ilegalidade alguma nisso. 

Então, perguntamos: por que então o prefeito foi lá pedir para se desligar das funções de conselheiro se estava agindo dentro da lei?

Loreno Siega - Revista Visão