Os primeiros resultados do projeto “Mata Atlântica: conhecer para conservar”, realizado pela Secretaria de Serviços Públicos e Meio Ambiente de Lages, em parceria coma Secretaria de Educação e o Instituto José Paschoal Baggio (IJPB), foi apresentado no Congresso Paranaense de Educação Ambiental. O evento foi realizado em Curitiba, na semana passada.

Após ser enviado um resumo para os avaliadores do Congresso, o trabalho foi aceito e assim apresentado pela bióloga Michelle Pelozato, da Secretaria do Meio Ambiente, e por Maria Isabel dos Santos, do IJPB, ao grupo de participantes do eixo temático de Formação de Professores.O evento contou com a presença de vários pesquisadores de renome na área, além de congressistas de todo o Brasil e América Latina.

O projeto iniciou em Lages em junho de 2016, com o objetivo de sensibilizar sobre a importância desse bioma no município.A primeira etapa executada foi capacitar professores da rede municipal de ensino,a fim de repassar a eles materiais didáticos para trabalhar esse tema em sala de aula.

Participaram dessas formações 84 professores, do 1º ao 5º ano. Antes de iniciar os trabalhos, os educadores foram convidados a responderem um questionário que tinha como objetivo comparar a percepção ambiental sobre o bioma Mata Atlântica entre professores do Ensino Fundamental I da rede municipal, proporcionando assim uma reflexão sobre o tema e a inserção desse conteúdo nas disciplinas ministradas nas escolas.

Os professores foram questionados sobreconhecimento relacionado à Unidade de Conservação Municipal, Parque Natural Municipal e também sobre espécies ameaçadas de extinção, além dos principais agravantes para o bioma e os desafios de trabalhar a Educação Ambiental em sala de aula.

Após o questionário respondido, os professores participaram das formações e durante um bimestre trabalharam o tema com os alunos, apresentando à comunidade uma devolutiva dos trabalhos desenvolvidos.Cada professor recebeu uma cartilha informativa e um pendrive contendo vários livros, filmes e materiais que poderiam ser aplicados durante as aulas.

Esse projeto foi patrocinado pela Policia Militar Ambiental, através do recurso de multas ambientais que foirepassado ao Fundo Municipal de Meio Ambiente.

 

Fotos: Divulgação - Texto: Ascom/PML