Não quero ser ave de mau agouro. Mas, pela vezes que já vi "esse filme", quando se trata de prejuízos com enchentes e estragos ocasionados pelas intempéries do tempo, não tenho lá muitas esperanças de que alguma ajuda venha de Brasília para aliviar um pouco o sofrimento do povo lageano e catarinense com relação às enchentes. 

Se depender de políticos (às pencas), aviões (três aviões e dois helicópteros estavam no aeroporto de Lages nesta manhã trazendo "otoridades") e mídia, com certeza a "bolada" de dinheiro que virá de Brasília para atender aos flagelados não será pouca coisa (talvez mandem numa daquelas "malas" famosas direcionadas ao Temer).  

Agora, pela via das dúvidas, eu sou igual São Tomé. Só acredito vendo. E tomara que eu esteja enganado. 

A propósito: Esse daí dando entrevista é o Sr. Hélder Barbalho, filho do velho Jáder, um "santo homem lá do Pará".

 

Fotos: Divulgação