Depois de vencer alguns trâmites burocráticos, o governador Raimundo Colombo e o secretário de Estado da Agricultura e da Pesca, Moacir Sopelsa, assinaram a documentação que deverá oficializar convênio de comodato por 25 anos, na exploração da Estação de Piscicultura de Painel (Base Avançada de Pesquisa). Os documentos já foram enviados para Brasília ao presidente do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama), Suely Araújo. A expectativa agora é para a devolução dos papeis devidamente reconhecidos e assinados para a conclusão do processo de transferência da BAP, para a Empresa de Pesquisa Agropecuária e Extensão Rural de Santa Catarina (Epagri).

Há mais de três anos, a ideia de absorver a desativada Estação de Piscicultura em Painel, e que pertence ao Ibama, foi requerida pela Associação Catarinense de Truticultores (Acatruta). De acordo com presidente Vilso Isidoro, a proposta apresentada pelos produtores tende a transformar o local em um centro tecnológico na produção de alevinos de truta e de outras espécies, com o objetivo de atender a demanda dos três estados do sul. O projeto foi apresentado ao Governo do Estado, e que, por sua vez passou a buscar a viabilidade legal da transferência. 

O presidente da Epagri, Luiz Hesmann, afirmou que tão logo o comodato estiver concretizado, uma reunião em Lages deverá avaliar quais os passos a serem seguidos. Além da Epagri, parceiros como a Prefeitura de Lages, Prefeitura de Painel e o CAV/Udesc deverão ser incorporados na definição do projeto de reestruturação da Base, e principalmente, avaliar qual será a necessidade dos investimentos, para devolver à estrutura, a capacidade operacional, e definitivamente voltar a cumprir com a função, ou seja, o incremento da piscicultura regional. “O local serviu por muitos anos como uma fonte de criação e distribuição de alevinos para toda a Região, fomentando a cadeia produtiva de truta e de outras espécies”, reiterou Hesmann. 

Paulo Chagas Vargas - Assessoria de Imprensa