Uma das alternativas no processo de tornar Lages a cidade mais limpa e florida de Santa Catarina, conforme propõe a administração municipal, é buscar referências nos maiores eventos do segmento em atividade. Por isso, entre os dias 21 e 23 de junho, o engenheiro agrônomo da Secretaria de Serviços Públicos e Meio Ambiente, Giovanni Tomazelli, participou da 24ª Hortitec, em Holambra (SP). O município paulista é responsável por cerca de 40% da produção e comercialização de todas as flores e plantas ornamentais do Brasil, sendo a quinta cidade mais florida do mundo.

Estiveram credenciados 420 expositores e até o término do evento deverão passar aproximadamente 30 mil visitantes pela feira e exposição. A Hortitec é considerada a maior exposição de horticultura da América Latina e a expectativa é movimentar R$ 100 milhões em negócios.  

Tomazelli esteve pela primeira vez na Hortitec e constatou pontos significativos em relação ao manejo, métodos de irrigação, repicagem, semeadura e tecnologia expostos durante os três dias de evento. Ressaltou, ainda, que é possível alcançar o objetivo do poder público municipal, de plantar 20 mil mudas até 2020, em pontos públicos de Lages (canteiros centrais e laterais de ruas e avenidas, rótulas, parques, praças, calçadões), devido ao baixo custo das unidades em Holambra.

“Por exemplo, produzimos no Horto Municipal (Várzea) cerca de 20 mil mudas de amor-perfeito. Isso custa, de semente e substrato, menos de R$ 2 mil, e o preço por unidade em Holambra é de R$ 1,80. Então, estamos falando quase de R$ 40 mil para comprar as mudas prontas. Portanto, é viável, vantajoso e econômico que Lages mantenha o próprio cultivo e embeleze seus locais de uso comum”, pontua o engenheiro.

 

Fotos: Divulgação - Texto: Ascom/PML