Desde o mês de abril o Sindicato da Indústria Florestal de Curitibanos – Sifc em parceria com a Associação Catarinense de Reflorestadores – ACR vem realizando ações de monitoramento e prevenção contra a Vespa da Madeira, como acontece todos os anos.

Como todos os anos, uma das ações realizadas tem a participação direta do sindicato é a contratação do prestador de serviço que faz o controle para pequenos produtores, fornecendo e aplicando a doses do nematoide.

- O sindicato visando proteger o patrimônio das empresas que são associadas, tomou a decisão que para os pequenos proprietários até 50 hectares, a entidade está disponibilizando até o mês de agosto parasitoide. Quem tiver uma área de até 50 hectares, pode estar indo até a sede do sindicato até o mês de agosto, com uma cópia da matrícula para comprovar o tamanho do imóvel e o sindicato encaminha a pessoa para fazer a aplicação. Para as empresas que são associadas no sindicato e têm acima de 50 hectares, tem um desconto na compra do nematoide e também terá instrução na aplicação do mesmo – Sintetiza a secretária executiva do Sifc, Priscila Palhano.

Para combater a vespa da madeira o produto deve  ser aplicado a partir do mês de abril até meados agosto.

Quem ainda não fez aplicação do nematoide, pode entrar em contato com o Sifc para maiores informações pelo telefone (49)3241-1338/98435-7260 ou ir até a sede do sindicato, na Av, Salomão Carneiro de Almeida, 388 – 5° anda SL 56 no Gaboardi Master Center.

Entenda o que é a Vespa da Maderia
A Vespa da Madeira (Sirex noctilio) é uma espécie indígena da Europa, (Turquia) e Norte da África, pertence a ordem Hymenoptera, família Siricidae. Na década de 40 foi detectada na Nova Zelândia onde causou grandes prejuízos à Silvicultura local. Com o passar dos anos foi migrando para outros países e continentes, chegando ao Uruguai em 1980 e ao Brasil em 1988, sendo que em 1993 foi detectada no Sul do Paraná.

 

Aspectos biológicos
O prejuízo às árvores é causado pelas larvas do inseto que alimentam-se dos tecidos da planta. Na verdade as larvas consomem uma espécie de fungo que é introduzido na madeira pelas fêmeas adultas no momento da postura. As fêmeas adultas tem grande percepção química e são atraídas por substâncias emitidas por plantas que encontram-se estressadas. O estado de estresse pode ser provocado por danos físicos, podas acentuadas e principalmente pela falta de manejo adequado.
 
Danos da vespa da madeira
Os sintomas do ataque da vespa são: respingos de resina; amarelecimento da copa; orifícios de emergência; em madeira desdobrada são encontradas galerias escavadas pelas larvas e manchas azuladas provocadas pelo fungo inoculado pelas fêmeas.   Ativa - Assessoria em Comunicação