Um dos graves  problemas do Brasil é a grande injustiça que existe entre a remuneração de alguns setores quando comparado a outros. 

Ontem à noite, no Jornal Nacional, por exemplo, fiquei sabendo que a Câmara Federal e o Senado, somados, custam a "bagatela" de R$ 1 milhão por hora ao contribuinte (R$ 24 milhões por dia). 

Cada deputado federal, por exemplo, além do próprio salário e regalias, tem direito a contratar até 25 funcionários em seu gabinete. E cada senador, tem direito a 80 servidores. Isso além de passagens de avião, Previdência Privada, gastos com telefone e correios e, pasmem, até o famigerado "auxílio moradia". 

No Judiciário 

No judiciário, não é muito diferente. A média salarial de um juiz é de "míseros" R$ 47 mil. Isso mesmo!!! Na média, eles ganham 13 mil acima do teto (na média, eu falei). O  tal do Sérgio Moro, lá da Lava Jato de  Curitiba, ganha em média R$ 87 mil por mês (eu vi gráficos que mostravam seus ganhos em R$ 113 mil por mês, mas deve ser mentira). 

O Judiciário brasileiro custa a "mereca" de 1,3% do nosso PIB. Na Alemanha, custa 0,2%, em Portugal (0,2%), nos EUA (0,1%), na Itália (0,17%). 

Vcs acham que é pouco dinheiro 1,3% do nosso PIB? Comparativamente, gasta-se apenas 3,6% do PIB com Saúde. E apenas 5,6% com educação. E quantas pessoas têm direito à saúde e educação (204 milhões de brasileiros)? E quantos fazem parte do Judiciário? 

Criaram o tal do Conselho Nacional de Justiça (CNJ) lá em Brasília. Era para ter no máximo 60 funcionários. Adivinhem quantos tem? 1.300. Sim. São 1.300 servidores, provavelmente todos formados em Direito, cujo salário deve ser bem maior do que o famigerado "Salário Mínimo". 

No Ministério Público Federal (MPF), ontem, a Suprema Corte se concedeu um pequeno aumento de quase 17% (a inflação do último ano foi menor do que 5%). O útimo aumento deles (do pessoalzinho do MPF) havia sido em janeiro de 2015. O reajuste havia sido de 14% (bem acima da inflação). 

Um Ex-Presidente da República não tem aposentadoria vitalícia. Collor de Mello, FHC, Sarney, Itamar Franco, Lula da Silva e Dilma não recebem mais salário como ex-presidentes. 

Mas, em Santa Catarina, TODOS OS EX-GOVERNADORES TÊM SALÁRIOS VITALÍCIOS.

O Governo não consegue pagar suas contas. Então,  lasca impostos sobre o consumo da população. Em compensação, COMPRA-SE DEPUTADOS EM PLENO DIA ÚTIL, NOS BELOS PALÁCIOS DO GOVERNO.  DETALHE: COM DINHEIRO PÚBLICO.  

É por essas - e outras - que o nosso Brasil está indo para o buraco.