Em um grupo com centenas de vozes masculinas, se questionado sobre o sonho de criança e o que quer ser quando crescer, a resposta será precisa, quase unânime e não deixará dúvidas: eu quero ser jogador de futebol. E haverá vozes femininas reproduzindo a mesma reação. Saber que um dia poderão fazer parte do plantel do principal time da cidade, o Internacional, mexe com a imaginação e dá aquele frio na barriga dos pequenos.

Em Lages, este sonho pode estar perto de se tornar realidade. Simultaneamente ao esporte e sentido de lazer, o Projeto Lages Leãozinho, lançado na noite desta segunda-feira (18/09), no bairro Vila Mariza, proporcionará vantagens sociais, de afastamento de crianças e adolescentes das armadilhas da violência e das drogas, traçando um novo destino com ensinamentos sobre disciplina, educação, respeito, interação, trabalho em equipe e companheirismo. Será uma escolinha de futebol com preceitos inovadores no município, uma iniciativa da Secretaria da Assistência Social e Habitação, com parceria do Inter de Lages.

O primeiro Núcleo já foi lançado no bairro Guarujá, lembrando que cada Núcleo contará com até 130 alunos. Ainda para este ano está prevista a abertura de mais dois polos do Projeto Lages Leãozinho, no bairro Popular e Santa Mônica. A coordenação é do educador físico Tyrone Machado.

No Vila Mariza, as aulas serão ministradas por dois professores educadores físicos do quadro municipal e funcionarão da seguinte forma: todas segundas e quartas feiras -

Horário matutino - turma de 11 a 14 anos - 8h30min às 9h45min

Turma de sete a dez anos - 10h às 11h15min

Horário vespertino - turma de sete a dez anos - 14h às 15h15min

Turma de 11 a 14 anos - 15h30min 16h45min

Com salão lotado e a presença do prefeito Antonio Ceron, foi dada a largada ao Projeto no Vila Mariza, quando, em pouco mais de uma hora, mais de 100 crianças e adolescentes já estavam inscritos, com concentração no salão da igreja católica do bairro. Ceron evidenciou a preocupação do Município em oferecer oportunidades de qualificação, a exemplo de cursos técnicos, com parcerias. “Para que estas crianças tenham grandes chances lá na frente, com competitividade de igual para igual, se encaminhando bem na vida. Trabalhamos para que tenham o suporte pedagógico e no contraturno possam desenvolver suas habilidades de crescimento”, analisa o chefe do Executivo.

O secretário da Assistência Social, Samuel Ramos, ressalta que por ser um projeto social, haverá acompanhamento das crianças e adolescentes e de suas famílias. “Para participar é preciso que eles tenham bom desempenho na escola, nota boa, caprichar nos boletins. Este Projeto precisa da ajuda dos pais”, adianta. 

Fotos: Toninho Vieira - Texto: Ascom/PML