Nem mesmo o mais sábio e experiente ser humano conhece tudo. E justamente por isso, nunca é tarde para aprender. Foi com esse pensamento que o prefeito de Lages, Antonio Ceron, participou nesta sexta-feira, dia 6 de outubro, de um encontro com gestores de outros três importantes municípios catarinenses.

Realizada em Criciúma, a reunião contou, além de Ceron, com as presenças dos prefeitos da cidade anfitriã, Clésio Salvaro; de Tubarão, Joares Ponticelli; e de Araranguá, Mariano Mazzuco. O objetivo foi promover uma troca de ideias sobre problemas em comum entre os quatro municípios, em que pese as diferenças populacionais, culturais e econômicas.

Técnicos de secretarias como Saúde, Educação, Finanças, Assistência Social, Obras, Procuradoria e Comunicação das quatro prefeituras também participaram e promoveram grupos de debate sobre os assuntos inerentes às respectivas pastas.

A proposta é que os servidores passem a trocar informações com frequência, buscando estratégias e alternativas para identificar os problemas e aplicar as soluções de maneira mais rápida, prática e eficiente.

"O aprendizado precisa ser permanente, e para isso é necessário ter consciência das dificuldades e humildade para conversar com as pessoas. Nesse encontro pioneiro, mostramos as nossas experiências em cada setor e confrontamos com as demais prefeituras. Nós temos o compromisso com o acerto, mas ainda erramos. A gestão dos municípios está ficando impossível, e se você não tiver criatividade e ir em busca de soluções, vai ficar gerenciando folha de pagamento. A sociedade quer saúde, educação, saneamento, ruas e calçadas. Hoje nós estamos praticamente canalizando os investimentos da Prefeitura em questões carimbadas. Isso vai engessando e a gente fica sem recursos para ações positivas. Por isso vamos aprender com os erros e acertos dos outros municípios. É claro que não são coisas para hoje, mas é uma nova e moderna forma de gestão pública que queremos implantar", diz o prefeito de Lages, Antonio Ceron.

Meta é reduzir o custo da máquina pública

O prefeito de Tubarão, Joares Ponticelli, lembrou que justamente os quatro prefeitos reunidos nesta sexta-feira lideram uma negociação junto ao Tribunal de Justiça de Santa Catarina com relação aos precatórios.

"Já somos conhecidos como os prefeitos dos precatórios. Mas se não fosse a nossa união e mobilização, 70 municípios catarinenses estariam hoje em situação bem pior".

O prefeito de Criciúma, Clésio Salvaro, lembrou que os encontros devem continuar nos próximos meses com outras prefeituras. E ele fez questão de convidar o colega Antonio Ceron para o primeiro evento justamente porque ambos, quando eram deputados estaduais, conversavam muito na Assembleia Legislativa.

"Temos muitos problemas em comum, e queremos buscar os bons exemplos. Esses encontros têm o objetivo de procurar iniciativas para reduzir o custo da máquina pública e otimizar os serviços oferecidos à população. Em Lages a taxa do lixo é cobrada na fatura da água. Aqui em Criciúma a cobrança é pelo IPTU, o que nos gera uma inadimplência muito grande. Vamos adotar esse modelo, porque não é feio copiar as coisas boas. A única coisa permanente na vida é a mudança".

Já o prefeito de Araranguá, Mariano Mazzuco, destacou que, apesar de o seu município ser o menor dos quatro envolvidos na reunião desta sexta-feira, com 67 mil moradores, as demandas são as mesmas, e por isso a importância da troca de experiências.

"Estou no meu terceiro mandato como prefeito, e ainda tenho muito a aprender. Então esse tipo de encontro serve para criarmos uma relação mais próxima entre os prefeitos e os secretários e replicarmos as boas ideias e ações de cada município".

 

Fotos: Pablo Gomes - Texto: Ascom/PML