Três dias. Somente isso separa atletas e público da 57ª edição dos Jogos Abertos de Santa Catarina (Jasc). Em agenda de divulgação do evento na capital Florianópolis nesta terça-feira (31 de outubro), o prefeito Antonio Ceron esteve com o secretário de Estado de Turismo, Cultura e Esporte, Leonel Pavan. A expectativa de sucesso para os Jasc, que acontecerão de 3 a 11 de novembro na maior cidade da Serra catarinense, conforme Pavan, se estende por todo o Estado, além do desejo de que atenda aos interesses dos catarinenses. “Nós mesmos da Secretaria estamos ultrapassando a expectativa pela espera de que os Jasc em Lages sejam um dos maiores até hoje realizados. O objetivo é fazer o melhor Jasc da história de Santa Catarina.” E para isto, sob a ótica de um dos dirigentes de Governo, não está faltando apoio da prefeitura de Lages, nem da Fundação Catarinense de Esporte (Fesporte), do Conselho do Esporte no Estado, dos profissionais e atletas.

Leonel Pavan relembra que foi atleta de Jogos Abertos. “Tenho 63 anos e fui medalhista em Santa Catarina. Participava de 100 metros rasos, 200, 400, 4X100, 4X200, 110 metros com barreira, salto em distância e do handebol. Sei o que é expectativa, ansiedade. E agora, como secretário, me sinto feliz em poder participar daquilo que, no passado, mexia com a nossa emoção. Agora minha emoção é em poder fazer o melhor. O prefeito Ceron  e os dirigentes de Lages estão cumprindo a rigor com suas obrigações”, reitera.

Na etapa de definição da cidade-sede, feita em 16 de março deste ano, Pavan recorda não ter sido missão fácil. “O número de prefeituras que queriam ser cidade-sede era muito grande. Havia disputa porque os Jasc são o sonho de qualquer município, todos querem ser anfitriões. E os que já sediaram ficam na expectativa de repetir o feito. Lages conseguiu pelo empenho do prefeito, pela competência da equipe e pela estrutura que a cidade oferece.” Nesta terça Pavan esteve em um encontro com alguns prefeitos. “E todos eles falaram que a próxima edição tem de ser na sua cidade. Mas nesse momento nossa concentração está voltada a Lages. Este título ninguém lhe tira.” 

A parceria entre diferentes esferas de governo é fundamental para o êxito de um evento desta envergadura. “Nós, aqui do Governo do Estado, também estamos dando a nossa contrapartida. Se fosse em outro município talvez tivéssemos mais dificuldades.” Uma das novidades da edição 57ª é a criação do troféu geral transitório, em que serão necessárias três vitórias nos Jasc para que a cidade fique com o prêmio em definitivo.

 

Visibilidade

A cerimônia da abertura oficial dos Jasc acontecerá na noite de sexta-feira (3 de novembro), no Ginásio Jones Minosso. Lages passará, ao longo de nove dias, a ser o principal assunto em todo o Estado. Serão 96 municípios, quatro mil atletas, contando técnicos, dirigentes e apoio passam de 7.500 pessoas, em 26 modalidades.

No mínimo, as 295 cidades de Santa Catarina, e mais, de outras regiões, terão Lages como assunto, seja nas escolas, quadras esportivas, nos campos de futebol, na imprensa. Espera-se que a mobilização seja generalizada. “Por causa da maior competição esportiva amadora do Brasil. A população tem de se orgulhar de sua cidade receber mais de quatro mil estudantes, mais familiares e amigos. Vão movimentar a economia. Hotelaria, gastronomia, comércio em geral. Turisticamente, Lages vai dar um salto muito grande. A questão social vai ser importante, bem como a integração”, pontua Leonel Pavan. 

 

Registro em tempo real

Como se diz no Internetês, as publicações digitais mais atraentes “viralizam” de uma forma veloz e já não se limitam à idade. O secretário de Estado Pavan acredita que as redes sociais serão uma ferramenta eficaz para a propagação dos Jasc sem fronteiras, atingindo, principalmente, os jovens. “Imagine os milhares de selfies que vão ser ‘tiradas’ nesses Jogos. A região serrana vai ter o maior numero de ‘curtidas’ e fotos do Estado neste período, em Facebook e WhatsApp. Pode-se comparar à repercussão de uma temporada em Balneário Camboriú”, salienta. 

 

Ceron: “O maior troféu é ser cidade-sede”

O prefeito Ceron destaca que o número de municípios inscritos supera as edições mais recentes. “Com a pausa de 2016 deu para se reciclar e o povo sentiu saudades. Ledo engano pensar que os Jogos fazem parte do passado. Lages vivencia alegria, otimismo, notícias positivas e propositivas, enfim, ‘respira’ os Jogos Abertos. O legado que fica em Lages não é só de obras, mas na memória do menino e da menina que vão ver seus ídolos, os medalhistas olímpicos. Um presente para nossas gerações, estímulo para a formação de cidadãos do bem.” O chefe do Executivo enumerou que o ex-tenista Guga, ex-nadador Xuxa, a ex-jogadora de vôlei, Ana Moser, e a atual Natália, são talentos descobertos em Jogos Abertos. “Com destaque no cenário internacional.”

 

Informações: Comunicação PML

 

Foto: Divulgação