O Centro de Ciências Agroveterinárias (CAV), da Universidade do Estado de Santa Catarina (Udesc) em Lages, recebe nesta quinta, 16, e sexta-feira, 17, no Anfiteatro Caverna, o 2º Congresso de Engenharia Ambiental do Sul do Brasil.

O evento é organizado pelo curso de Engenharia Ambiental e Sanitária e tem o objetivo divulgar e ampliar a produção científica e tecnológica na área ambiental. Durante os dois dias, haverá palestras e apresentações orais de 154 trabalhos de diversos estados.

Na palestra de abertura, o biólogo Yuri Zebral apresentou estudos que estão sendo realizados na foz do Rio Doce para avaliar os efeitos da tragédia de Mariana-MG, causada pelo rompimento da barragem operada pela Samarco. O monitoramento avalia os danos causados à população e ao meio ambiente.

Zebral defende que o maior desastre ambiental da história do Brasil deve ser amplamente debatido na universidade. "É necessário que os alunos tomem consciência. Eles são o futuro da ciência brasileira e precisam ter noção das repercussões desde desastre".

O congresso é bienal e teve a primeira edição em 2015, em Porto Alegre-RS, onde reunir acadêmicos de Santa Catarina, Paraná, Rio Grande do Sul, São Paulo, Rio de Janeiro, Goiás, Mato Grosso do Sul e Amazonas.

A professora da Udesc Lages, Vivian Trevisan, coordena o evento e enfatiza a importância da divulgação das pesquisas realizadas pelos alunos e a troca de conhecimento entre instituições. "Temos trabalhos de diversas regiões do País e isso é importante para a Udesc e para o curso de Engenharia Ambiental e Sanitária, principalmente do sentido de divulgação dos mesmos".

Assessoria de Comunicação da Udesc Lages