Cobranças, indignação, revolta e até xingamentos marcaram a audiência pública sobre a pavimentação da SC-370 na tarde de quinta-feira (16), na localidade de Consolação entre os municípios de Rio Rufino e Urubici. O objetivo era discutir com a comunidade dos dois municípios e autoridades locais e estaduais, a real situação da rodovia que há 40 anos espera por pavimentação. Mas o clima “esquentou” em determinados momentos nos desabafos dos moradores.

Mais de 500 pessoas lotaram o salão da igreja da Consolação, além dos prefeitos de Rio Rufino Thiago Costa e de Urubici Antônio Zili. Prestigiaram o evento também, o presidente da Amures prefeito de Otacílio Costa Luiz Carlos Xaxier e os prefeitos de Urupema Evandro Frigo e o Bom Retiro Vilmar Neckel.

O deputado estadual e presidente da Assembleia Silvio Dreveck, estava acompanhado dos colegas deputados Gabriel Ribeiro, Cleiton Salvaro e Ricardo Guidi. A Secretária executiva da ADR de São Joaquim Solange Pagani, representou o governador Raimundo Colombo. A secretária executiva da Amures Iraci de Souza apresentou um histórico da rodovia e lembrou que o projeto executivo da rodovia que custou R$ 1.9 milhão está pronto há quatro anos e infelizmente engavetado.

O prefeito Thiago Costa lembro que a pavimentação da SC-370 é uma luta de todos e que a audiência foi necessária para mobilizar autoridades e comunidade. “Essa rodovia é compromisso histórico e esperamos que sua execução seja incluída na próxima operação de crédito do Estado junto ao Banco Americano de Desenvolvimento – BID, prevista para 2018”, declarou Thiago Costa.

O prefeito de Urubici Antônio Zili lembrou que por diversas vezes a SC-370 já foi indicada como prioridade por governos anteriores. “Vamos ser sinceros senhores deputados, eu não acredito nessa obra. Moro aqui há 60 anos e vi construírem pontes, galerias e bueiros e a obra nunca saiu do papel. Hoje estamos fazendo audiência pública em mais uma tentativa de ver a obra. Lamentável, porque esta é a rodovia da redenção econômica desses dois municípios”, desabafou Zili.

Além do traçado turístico, a SC-370 é vital para a economia de Rio Rufino e beneficiará diretamente os municípios de Urupema, Painel e Bocaina do Sul, encurtando significativamente as distâncias. O traçado original da rodovia sempre teve um objetivo claro, o Porto de Imbituba.

Vaias e até palavrões marcaram a manifestação da comunidade contra os deputados e representantes do governo do Estado. Dentre as cobranças apontaram que a não pavimentação da SC-370 é um problema político e não econômico. Um representante da comunidade até comparou o custo da rodovia orçado em R$ 120 milhões, como não sem do nada em comparação aos R$ 700 milhões que o Estado gasta por ano só para manter as Secretarias Regionais.

A extensão da SC-370 é de 30,3 quilômetros e sua reivindicação é da década de 1970. Sua importância é estratégica para o escoamento da produção de leite, frutas, pecuária, hortaliças e para o turismo regional.

Colombo: “obra depende de análise do BID”

Em Campo Belo do Sul na manhã desta sexta-feira (17) para inauguração das obras de recuperação da SC-390, o governador Raimundo Colombo disse que a execução da SC-370 dependerá de análise técnica do Banco Americano de Desenvolvimento – BID.

“Os técnicos analisam quantos veículos trafegam na rodovia por dia, qual seu potencial econômico futuro e dentre outros estudos, que tipo de impacto ela trará para o desenvolvimento das comunidades. É disso que depende sua viabilidade”, explicou o governador.

Colombo admite que com recursos próprios o Estado não tem condições de arcar com os custos da SC-370. Mas que já tem previsão de contratar um novo financiamento com o BID ano que vêm e a ligação de Rio Rufino e Urubici será prioridade.. 

Texto e fotos: Oneris Lopes - Assess. de Imprensa da Amures