“Esta obra é fruto de financiamento internacional junto a Corporação Andina de Fomento e o dinheiro está o banco pronto para ser investido. As pontes estão em execução e todo este complexo será fundamental para a economia do Estado. O milho que vem do Paraná e do Maro Grosso chega aqui custando até 60% mais e isso reflete no preço dos produtos”.

A declaração foi feita pelo governador Raimundo Colombo ao assinar no início da tarde desta quinta-feira (23), a ordem de serviço para obras de pavimentação asfáltica de 27,7 quilômetros na SC-390, na Coxilha Rica. Além do asfaltamento serão construídas três pontes com investimento total de R$ 52,6 milhões.

Do total dos recursos R$ 46 milhões serão exclusivos para a pavimentação do trecho desde a BR-116 até o acesso à localidade de São Jorge. Os outros R$ 5,7 milhões serão empregados na construção das pontes. O presidente da Amures prefeito de Otacílio Costa Luiz Carlos Xavier participou da solenidade e disse que obras estruturantes como a que recebeu ordem de serviço nesta quinta-feira, são fundamentais para desenvolver a Serra Catarinense.

A assinatura da ordem de serviço aconteceu no salão da igreja da localidade de Vigia, com as presenças do presidente do Deinfra, Wanderley Agostini, deputado estadual Gelson Merisio, secretário executivo da Agência de Desenvolvimento Regional – ADR de Lages, João Alberto Duarte, deputado estadual Gabriel Ribeiro e dos prefeitos de Lages, Antônio Ceron e Capão Alto, Tito Freitas.

O canteiro de obras já está em operação e a obra deverá ser executada no prazo de 24 meses. A meta do governo é entregar os primeiros dez quilômetros até o início de abril de 2018. As três pontes a serem construídas são sobre o Arroio Penteado com 43 metros, sobre o rio Sanga Tatados com 27 metros e rio Pelotinhas com 65 metros.

A pavimentação da SC-390 vai dar acesso a uma área de 1.130 quilômetros quadrados que é compreendida a Coxilha Rica. Na região foram identificados 40 pontos turísticos que devem ser potencializados com o asfalto. Os empreendedores do agronegócio dizem que a Coxilha Rica tem potencial para cerca de 30 mil hectares de lavouras, o que a tornará um dos celeiros de grãos do Estado.

 

Após a assinatura da ordem de serviço, o governador e as autoridades visitaram um empreendimento em construção de hotelaria rural que deverá impulsionar o turismo na localidade com previsão de ser inaugurado em dois anos.

Texto e fotos: Oneris Lopes - Assess. de Imprensa da Amures