Num almoço reservado na Casa D’Agronômica, nesta sexta-feira (24/11), com o governador Raimundo Colombo e a bancada do PSD na Assembleia Legislativa, o ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, deu pinceladas sobre o cenário econômico do país para 2018. Porém, ateve-se a área dele, sem entrar no quadro eleitoral ou sinalizar se será candidato à Presidência da República.

O deputado Gabriel Ribeiro participou do almoço e, na sequência, da palestra dada por Meirelles no auditório da Federação das Indústrias de Santa Catarina (Fiesc) em Florianópolis. Saiu satisfeito com o cenário traçado para os próximos anos e especialmente com uma declaração do ministro, de que “a melhor política social para o país é o emprego”. Meirelles não diminuiu a importância do programa Bolsa Família, mas enfatizou que deve ser algo temporário.

O ministro da Fazenda forneceu alguns números sobre a pior crise econômica da história do Brasil, superando a depressão de 1929 a 1931: retração de -7,3% agora contra -5,3% em 1929). No entanto, a palestra focou em mostrar que o país estancou a crise e projeta um cenário positivo, com inflação baixa e controlada, taxa de juros e risco Brasil em queda e expectativa de crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) em 2,5% no ano que vem.

Meirelles reconheceu aos empresários e aos políticos que os números positivos ainda não são percebidos pela população, mas acredita que isso ocorrerá nos próximos meses. Ele visita Santa Catarina na semana em que o Governo Federal apresentou ao Congresso Nacional uma nova proposta para a reforma na Previdência Social. Disse que as camadas mais pobres não serão afetadas pela idade mínima, pois já se aposentam por idade (65 anos) e que, se nada for feito, a conta previdenciária irá sufocar o país.

Tarcísio Poglia - Assess. de Imprensa do deputado Gabriel Ribeiro 

COMENTÁRIO DO BLOG: Do mesmo partido de Colombo, e com grande prestígio porque suas políticas  econômicas até agora estão surtindo resultados positivos, algo me diz que Meirelles será um nome muito forte à Presidência da República em 2018.