Proposta pelo vereador Jean Pierre (PSD), a audiência pública realizada na Câmara Municipal, nesta quarta-feira (6), debateu o tema Gravidez na Adolescência e destacou os dados do Sistema Federal de Monitoramento e Acompanhamento das Gestantes (SisPreNatal) mostrando que anos de 2016 e 2017 o percentual de adolescentes gestantes se manteve em 16% do total de grávidas cadastradas no município de Lages. A reunião entre gestores da educação, saúde e entidades ligadas ao assunto apontou que é preciso trabalhar em rede e integrar os equipamentos sociais para prevenir e diminuir os números de casos de gravidez precoce.  

Com essa finalidade, o Poder Legislativo Lageano pretende para o ano de 2018 intermediar reuniões visando a união de entidades, pesquisadores, gestores públicos e demais órgãos que trabalham essa problemática. O objetivo é compartilhar as informações de cada entidade e integrar os dados para um futuro planejamento de ações preventivas ao tema que é considerado um problema de saúde pública. “Essa audiência se resume a um plano de ação. Um assunto importante como esse precisa da atenção e do envolvimento de todos na sociedade. Precisamos de ações cotidianas, pois só assim conseguiremos educar, conscientizar e prevenir a gravidez na adolescência,” manifestou Jean Pierre.

Participaram dos debates a gerente municipal de programas de saúde, Luciele Rech Capistrano; a coordenadora municipal da educação especial, Lúcia Arlete Burigo de Souza; o gerente estadual de educação, Humberto Aloisio de Oliveira; a presidente e vice-presidente do Instituto Paternidade Responsável, Rita de Cássia Medeiros e Rosane Magali Lang Wiggers; o coordenador do Conselho Tutelar, Claudionei Peixer; e a autora do artigo aprovado pela Universidade Federal de Santa Catarina, “Pobreza, gravidez na adolescência”, Rita Zanchet Couto.

 

 

Texto e fotos: Comunicação Câmara de Lages