Em dezembro de 2018, um grupo de professores e acadêmicos dos cursos de Engenharia do Campus Universitário da Região dos Vinhedos da Universidade de Caxias do Sul deverá concluir um projeto que agrega as áreas de robótica, interface cérebro-máquina e tecnologia assistiva para proporcionar mobilidade autônoma para pessoas com limitações físicas de locomoção. Trata-se do Exoesqueleto Robótico controlado por sinais de Eletroencefalografia, isto é, sinais cerebrais. Atualmente, o projeto está em fase de finalização de sua estrutura mecânica.

Segundo professor Alexandre Mesquita, que coordena o projeto, “o exoesqueleto robótico é uma estrutura de membros inferiores no qual o paciente será inserido e, através de uma touca especial, acionará a sequência de passos através de pensamentos específicos. O projeto busca oferecer a oportunidade do exercício cerebrais para atividades motoras de caminhada, que pode ter grande importância para processos de recuperação clínica de pacientes”.

 

O projeto conta com a colaboração dos professores Vagner Grison e Marilda Spíndola e está vinculado ao Mestrado Profissional em Engenharia de Produção do Campus Universitário da Região dos Vinhedos, e conta com a participação de alunos dos cursos de Engenharias: Mecânica, Controle e Automação, Elétrica e Eletrônica.

A pesquisa tem apoio do Conselho Nacional para o Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), com bolsas de iniciação tecnológica e verba para aquisição de materiais e equipamentos, como a impressora 3D que produz peças específicas do Exoesqueleto. “Mas empresas da região também são nossas parcerias, na forma de serviços e doação de materiais e equipamentos. Destacam-se Geremias Redutores LTDA, Imobras Ind. de Motores Elétricos, e Mesal Máquinas”, salienta Alexandre Mesquita.

O Exoesqueleto Robótico – um projeto que começou a ser desenvolvido no ano passado – é mais uma iniciativa do grupo da área de tecnologia assistiva da UCS que nos últimos anos vem se destacando no desenvolvimento de tecnologias de mobilidade, gerando reconhecimento científico e interesse da comunidade. Alexandre Mesquita cita a cadeira de rodas controlada por movimento de pescoço (cervical), que venceu o IV Prêmio Nacional Caixa de Projetos Inovadores, em 2012, e a cadeira de rodas controlada pelo movimento dos olhos (EOG), apresentada em congresso na Itália.

 

 

Texto e fotos: Comunicação UCS