A deputada federal Carmen Zanotto (PPS), nossa única representante na Câmara Federal, deve estar aliviada. Motivo: a tão propalada Reforma da Previdência, que o Governo Temer queria de todas as formas votar e aprovar ainda neste ano, ficou adiada para o mês de fevereiro de 2018. 

O anúncio oficial foi feito pelo presidente da Câmara, deputado Rodrigo Maia (DEM), no início desta tarde. 

Com isso, a deputada federal Carmen Zanotto, que estava sendo pressionada pelos dois lados, pode continuar mais alguns dias "em cima do muro". Ou seja, nem se posicionando a favor. E tampouco contra. É a típica posição confortável, agradando os dois lados (e não querendo perder votos no próximo ano). 

Resta saber se lá em fevereiro o partido dela, o PPS, que faz parte da base aliada do Governo Temer, não será OBRIGADO a votar a favor dessa tal reforma. Então, não seria melhor Carmen Zanotto assumir de vez esse ônus? Ou seria um bônus? Vale acrescentar que há bons argumentos contra e a favor do tema. Portanto, não se justifica ficar em cima do muro. 

Eu não gosto nem um pouco de  político que não assume posições. E amanhã cedo, no café da manhã com a deputada lá na CDL, vou perguntar a ela diretamente se é contra ou a favor a esse projeto de Reforma da Previdência que está para ser votado no Congresso. 

Loreno Siega - Revista Visão