A previsão para a entrada em funcionamento da nova Estação de Tratamento de Esgoto (ETE Araucária) é para o início do ano de 2018. Praticamente, as obras gerais do Complexo Araucária estão prontas, faltando apenas cerca de 300 metros de rede coletora, de um total de 39 mil metros. Esta rede percorre as ruas de sete bairros e de um loteamento popular.

Segundo o secretário municipal de Águas e Saneamento (Semasa), Jurandi Agustini, além dos 300 metros de rede falta também a instalação elétrica da ETE, trabalho que será feito pela Celesc, bem como a pintura dos quatro módulos de concreto da Estação. “Os reatores já estão instalados, faltando muito pouco para que a ETE possa entrar em operação. Depois disso os moradores da área de abrangência do Complexo Araucária serão notificados para que façam as ligações de suas residências e imóveis à rede coletora”, afirma Jurandi. Ao todo estão previstas cinco mil ligações domiciliares à rede coletora de esgoto.

Os investimentos públicos nas obras gerais do Complexo Araucária giram em torno de R$ 25 milhões, e nelas estiveram ou ainda estão envolvidos o Consórcio Araucária, STC Serviços de Terraplanagem e Construção Ltda., Instituto Acordar, Caixa Econômica Federal (CEF), Ministério das Cidades, Semasa e Prefeitura. A obra, que poderá futuramente ser ampliada, contempla, num primeiro momento, cerca de 23 mil moradores dos bairros Promorar, Santo Antonio, Centenário, São Luiz, Santa Catarina, Santa Clara, Araucária e Loteamento Novo Milênio.

 

Fotos: Marcelo Pakinha - Texto: Ascom/PML