Enquanto em Brasília o Governo Federal tenta de todas as formas garantir votos na Câmara Federal para aprovar o seu projeto de Reforma da Previdência (inclusive comprando o apoio de deputados), a sociedade, com pouquissimas exceções, parece anestesiada vendo o bonde passar e esperando para ver o que vai acontecer. 

Bastante tarde e em cima da hora (no nosso julgamento), a Frente Brasil Popular Planalto Serrano e uma ampla frente de Sindicatos de Trabalhadores da Serra Catarinense estão se mobilizando para um ato público, nesta segunda-feira (19/02), a partir das 14 horas, em frente ao INSS de Lages, contra o projeto que deverá ir a votação a  partir da próxima semana. Os servidores do HTR, inclusive, deverão paralisar suas atividades a partir das 13 horas da segunda-feira, em apoio à iniciativa. 

Em Lages, as entidades empresariais como ACIL, CDL e o Fórum das Entidades Empresariais já se manifestaram a favor da Reforma da Previdência. E apenas na última semana o Simproel entregou documento à deputada Carmen Zanotto mostrando-se veementemente contra. 

A deputada lageana e serrana, Carmen Zanotto, por sua vez, nosso único voto no Congresso sobre o assunto, insiste em ficar em "cima do muro". Diz que só vai se manifestar depois que tiver em mãos o projeto final da reforma. Oras, a gente sabe muito bem qual o projeto do Governo Federal. E que só irá beneficiar os que ganham mais e/ou já estão aposentados. O grosso dos trabalhadores só perderá com essa  Reforma. 

Então, qual a dúvida deputada? De que lado a senhora vai ficar? 

Antes de querer cortar benefícios de quem está prestes a se aposentar - e ganha muito pouco - que tal o Governo Federal pensar em cortar de vez a excrescência do auxílio moradia para juízes, promotores, desembargadores, procuradores, deputados, senadores..... Só com o auxílio moradia pago mensalmente ao Judiciário, o Governo Federal gasta R$ 1,6 bilhão por ano. Com esse dinheiro, daria para construir 160 mil casas populares por ano (cada uma custando R$ 100 mil). Isso sem falar que o auxílio moradia de R$ 4.377,00 pago a cada um dos 15 mil juízes brasileiros representa um provento maior do que ganham 92% dos brasileiros. Ou seja, 92% dos brasileiros ganham menos do que o "AUXÍLIO MORADIA" pago aos juízes, que já tem casa para morar (mansões, diga-se de passagem). 

Então, ninguém é contra a Reforma de um sistema que com certeza precisa de melhorias. Mas, antes de querer "economizar" em cima das desgraças dos pobres, o Governo Federal deveria cortar na própria carne. Além do mais, por que ficaram de fora do projeto do Governo as aposentadorias dos militares, deputados e senadores? 

Então, vamos ver se a tal da Frente Brasil Popular e esses sindicatos de trabalhadores conseguem reunir pelo menos 1.000 pessoas neste ano público. Seria o mínimo. 

Texto: Loreno Siega - Revista Visão