Escolas tradicionais buscam novos caminhos para promover uma mudança naconfiguração do currículo com a participação dos professores, organização das atividades didáticas, dos espaços e do tempo passado na instituição ensino. Disposto a atender as expectativas dos estudantes diante da nova realidade da educação, o Serviço Nacional da Indústria (Senai), em Lages, sai na frente e com metodologia própria.

 

A instituição trabalha com a personalização do aprendizado, busca estar cada vez mais próxima dos alunos e atender as individualidades de cada um no processo de aprendizagem. “Investimos no futuro dos nossos alunos e nos profissionais que tem a missão de ensinar. Queremos que os estudantes sejam livres para ser criativos, se descobrirem e terem um futuro promissor”, explica o diretor do Senai na Serra Catarinense, Telmo Coelho.

 

 

Há poucos dias, os professores passaram por um treinamento piloto realizado pela JuniorAchievement, uma das maiores organizações sociais do mundo, parceira da Federação das Indústrias de Santa Catarina (Fiesc) e que está voltada para desenvolver o espírito empreendedor nos jovens.

 

Os educadores experimentaram o método Innovation Camp. “De forma cooperada, eles conseguem identificar quem é o aluno da atualidade e trabalham de maneira mais assertiva o conhecimento em sala de aula”, conta o diretor Executivo do Programa JuniorAchievement em Santa Catarina, Evandro Carlos Badin.

 

 


Tecnologia em favor do aprendizado

 

Com uma proposta pedagógica inovadora, a instituição tem conseguido trabalhar as ferramentas tecnológicas disponíveis com uma amplitude diferenciada e formação continuada muito intensa.

 

Especialista de ensino na área de Tecnologia da Informação do Senai, Jackson Eduardo explica que, além de estar muito bem preparado em termos de conteúdo para ensinar, o professor necessita ter empatia com os alunos.

 

“É preciso, antes de mais nada, conhecer o perfil de cada aluno. Eles são curiosos, têm acesso a muita informação e estão ligados às redes sociais. É fundamental usar essas ferramentas que fazem parte do mundo deles em favor do aprendizado”.

 

Para a coordenadora de Apoio aos Negócios do Senai Santa Catarina, Ivanete Lurdes Costacurta, a escola deve se apresentar de maneira muito mais atrativa para este novo aluno com perfil tão diferenciado. “O objetivo é ajudar o educador a criar soluções de ensino-aprendizagem. Vamos multiplicar essa metodologia para os outros 2 mil professores que trabalham em unidades em todo Estado”.

 

Texto e fotos: Catarinas Comunicação