Lombadas eletrônicas, área azul, padronização de sinaleiras e conselho de trânsito foram alguns dos assuntos questionados pela diretoria da ACIL, nesta segunda-feira (26/02), em reunião com Jacinto Bet, diretor executivo da Coordenação de Segurança e Trânsito.

O primeiro assunto tratado foi as lombadas eletrônicas, desativadas desde o mês de dezembro de 2017 devido ao término do contrato com a empresa responsável. Os empresários questionaram posição de algumas lombadas que consideram estar em locais inadequados, como por exemplo na Av. Belisário Ramos, em frente a ACIL (sentido Duque – Av. Papa João XXIII), que fica em uma curva; na Rua Humberto de Campos que, devido a poluição visual, é de difícil visualização e a na Av. Duque de Caxias, que fica em frente uma loja e não em frente ao Colégio. Segundo Bet, algumas lombadas serão realocadas, como é o caso da que fica em frente a ACIL, porém a da Av. Duque de Caxias não é possível colocar em frente ao colégio devido ao semáforo que tem em seguida pois a legislação não permite. Sobre a da Rua Humberto de Campos ele irá analisar o que pode ser feito para melhorar a sinalização.

Sobre a área azul, informou que a licitação está em fase de finalização. “Está demorando a sair devido as exigências, que atrapalham o andamento das coisas. No dia 27/02, viria um técnico de Caxias do Sul, para fazer uma revisão do edital que deverá ser lançado nos próximos dias”, explicou. Quanto aos semáforos informou que, também nesta terça feira (27/02), seria assinado o contrato novo de padronização dos semáforos, que será feita via rádio e central de controle. “Com essa padronização será possível controlar o trânsito e até criar uma onda verde, ou seja, será possível ir do Cemitério Cruz das Almas até o Centro Agroveterinário sem parar nos semáforos, desde que seja respeito o limite de velocidade da via”, falou.

O diretor de Segurança e Trânsito, explicou que desde sua última vinda a ACIL nada mudou, devido aos problemas para execução das melhorias. “Falta material de sinalização, pessoal para executar e, principalmente, há sobreposições de secretárias. Mas a partir de 1º/03 essa sobreposição será extinta e poderemos executar os serviços com mais rapidez”. Informou ainda que já foram adquiridos equipamentos para implantar a direita livre, em sete cruzamentos e que serão colocados radares em alguns pontos da cidade, com sinalização indicativa a cada 300 metros.

Um importante órgão fiscalizador e de assessoramento em trânsito é o Conselho Municipal de trânsito. O empresário Antonio Wiggers, representante da ACIL junto ao Conselho, comentou que nunca foi convocado para reunião. Segundo Bet, o Conselho de Trânsito ainda não foi implantado devido à dificuldade de as entidades indicarem representantes, mas se comprometeu a implantar o conselho o mais breve possível.

Sheila Rosa - Assessoria de Imprensa da ACIL