A Páscoa está se aproximando e este ano será antecipada em relação a 2017, ou seja, acontecerá em 1º de abril. Com a chegada da data, o Programa de Defesa Consumidor (Procon), como faz tradicionalmente, seguiu até os principais supermercados de Lages (Alvorada, Angeloni, BIG, Bistek, Martendal, Maxxi, Mezzalira, Myatã e Stok Center) e pesquisou os preços de ovos de chocolate, barras e caixas de bombons de diferentes pesagens das mais famosas marcas. O conselho para os consumidores é de que estejam prudentes, pois nesta época os preços costumam ser elevados de forma considerável.

Em 2018, o levantamento de informações foi efetuado nos dias 19 e 20 de março. Um comparativo entre os preços desta edição e a Páscoa do ano passado foi traçado pelo órgão e está disponível junto à planilha completa em http://procon.lages.sc.gov.br/pesquisas. “A barra de chocolate da marca Lacta apresentou maior aumento. O quilo passou de R$ 39,20 para R$ 49,19, uma variação de 25,48% a mais. A menor variação de preço foi diagnosticada na barra de chocolate Garoto. Em 2017 era R$ 40,80 o quilo e R$ 38,60 nesta pesquisa, um decréscimo de 5,69%”, salienta o coordenador executivo do Procon, Júlio Borba.

A pesquisa constatou, ainda, que a barra está diminuindo ao longo do tempo. A padrão já chegou a 200 gramas e atualmente somente as barras Nestlé e Garoto estão com peso de 100 gramas, enquanto a da Lacta está com 135 gramas. “Há uma redução do tamanho e o preço por quilo tem aumentado, via de regra. Em outros casos o valor está estável. Na situação do da Lacta, por exemplo, o preço por quilo na caixa era de R$ 27,75 e foi para R$ 33,30, incremento de 20%”, alerta Júlio, pontuando que o mesmo está ocorrendo com a caixa de bombons. “Antigamente a caixa vinha com 400 gramas e agora a caixa da Lacta, por exemplo, vem com 289,2 gramas e as da Nestlé e Garoto com 300. Houve diminuição na quantidade de produtos, e o valor do preço da unidade de caixa tem se mantido. Aos consumidores orientamos fazer um bom comparativo. O preço pago pelo quilo no ovo de Páscoa é realmente abusivo, basta fazer uma regra de três e seguramente vai se chegar a mais de R$ 100, R$ 200.” Outra dica é que os pais façam as compras de Páscoa sem o acompanhamento dos filhos, pois, “caso contrário, inevitavelmente irão gastar mais”.

A principal recomendação do Procon acerca da presença de brinquedos na parte interna dos ovos de chocolate é que os pais verifiquem a existência de peças muito pequenas que possam acidentalmente serem ingeridas pelas crianças. “Existem limitações de idade para este tipo de brinquedo.” Os brindes em ovos de Páscoa devem conter, em sua embalagem, o selo de identificação da conformidade do Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia (Inmetro).

 

Fotos: Toninho Vieira - Texto: Assess. de Imprensa da PML