Senão, vejamos:

1) Estacionamento Rotativo Área Azul (até quando entrará em operação?);

2) Lombadas eletrônicas desativadas (até quando?);

3) Início das obras de revitalização do centro de Lages (tá mais demorado do que esperança de pobre ficar rico);

4) Iluminação pública (Lages está às escuras mesmo arrecadando uma fortuna por mês com a famigerada Cosip);

5) Quem será o novo Executivo de Trânsito, em substituição a Jacinto Bet?

6) Compra do terreno para a Berneck (proprietários entraram com ação no STJ pedindo revisão de valores);

7) Projeto Lages Business Park (que para mim já gorrou faz tempo);

8) Pavimentações pela cidade sem dinheiro do Fundam (como vai ser feito agora?);

9) Av. Ponte Grande (está em andamento - muito devagar e a conta gotas - como acelerar as obras?);

10) Como acomodar todos os "excluídos" do Governo Colombo na Prefeitura de Lages?

11) Quem será o candidato do paço a deputado federal (a Carmen Zanotto?);

12) Secretário Marião é ou não é culpado no "imbróglio do Natal Infelicidade" já que foi citado na respectiva CPI?

13) O novo prédio da Prefeitura será construído no terreno da antiga rodoviária? Com que dinheiro? Ou será construído por empresários? Qual a moeda de troca?

Por enquanto, são esses os "nós" mais espinhosos que a atual administração está sendo chamada a desamarrar (até pelos próprios correligionários na Câmara - Ex.: vereadores Lucas Neves e Jair Júnior). 

Loreno Siega - Revista Visão