A participação da Federação das Indústrias de Santa Catarina (Fiesc) na Semana da Inovação, por meio do Instituto Euvaldo Lodi, foi motivadora com apresentação de cases de sucesso e acesso a linhas de financiamento oferecidas por órgãos de fomento. O workshop para incentivar propostas inovadoras foi realizado nesta quarta (18), no auditório do Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai), e reuniu autoridades, empresários e estudantes.

Uma das bandeiras defendidas pela Fiesc é justamente a da inovação. “Ela está entre os pilares da Federação por impulsionar a competitividade da indústria”, destaca o vice-presidente para a Serra Catarinense, Israel Marcon.

O Edital de Inovação para a Indústria é uma iniciativa que valoriza essa prática, financiando o desenvolvimento de novos produtos, processos e serviços inovadores. Empresas de qualquer porte podem se inscrever nas seis categorias do Edital. O aporte financeiro é disponibilizado por meio da parceria entre o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), o Senai e o Serviço Social da Indústria (Sesi).

A Empresa Brasileira de Pesquisa e Inovação Industrial (Embrapii), vinculada ao Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovação e Comunicações, foi apresentada aos participantes. Ana Arroio veio de Brasília para msotrar o modelo de financiamento da empresa, que destina até um terço dos recursos necessários de um projeto de inovação industrial com recursos não reembolsáveis.

Representes do Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE) e Agência de Fomento do Estado de Santa Catarina (Badesc) falaram sobre as oportunidades de financiamento e as linhas especiais de crédito.

O prefeito Antonio Ceron destacou em sua fala que Lages se sente orgulhosa em poder preparar o empreendedor na perspectiva de competitividade, especialmente com a implantação do Órion Parque Tecnológico e eventos como o da Semana da Inovação. “Nos dias atuais, a inovação é ferramenta indispensável para ampliar a capacidade produtiva”.

Histórias inspiradoras

Além de tratar de números e as mudanças tecnológicas, o empresário Athos Branco apresentou a lageana Softecsul, surgida em 1993 como Plongez Tecnologia, uma das primeiras empresas em Santa Catariana a desenvolver soluções "for Windows".  Em 2013 a empresa se reinventou e passou a ser Softecsul Tecnologia, e dois anos depois uma unidade foi aberta em Pompano Beach, na Flórida. Estados Unidos. A partir daí a empresa começou a desenvolver soluções que exigem mais conhecimento em software, hardware e um maior grau de dedicação em todos os processos.

“Hoje, depois de todo este tempo de caminhada, continuamos buscando inovação, tecnologia e pessoas, como fonte de inspiração para a criação de novos projetos”, frisa Athos.

Outra história apresentada foi a da Royal Ciclo, que surgiu para se tornar uma das mais importantes indústrias de peças e componentes para o setor de bicicletas com a união da catarinense Metalciclo, maior fabricante de pedais da América Latina, e a taliana Selle Royal, maior fabricante de selins para bicicletas do mundo.

Motivada pela inovação, a empresa é a única que fabrica pedivela, a peça que une um pedal ao outro, no Brasil e é a maior e mais moderna do mundo. “Esse projeto foi possível graças ao apoio e parceria do IEL, que nos deu todo suporte necessário”, destaca o empresário Milton Jhonatas Hobus.

Texto e fotos: Catarinas Comunicação