O Centro de Ciências Agroveterinárias (CAV), da Universidade do Estado de Santa Catarina (Udesc) em Lages, será sede da Associação Brasileira de Produtores de Lúpulo (Aprolúpulo), criada em assembleia, no último sábado, 19, no Anfiteatro Caverna.

A Aprolúpulo inicia as atividades com cerca de 50 associados e com apoio da Udesc Lages, que começou a cultivar a planta há seis meses. Neste período, foram colhidos cerca de 700 gramas de lúpulo por planta para produção de cerveja e para pesquisas de qualidade.

O objetivo da associação é gerar informações e fomentar a cultura do lúpulo, um dos principais ingredientes da produção cervejeira, atuando como conservante natural. Atualmente, o Brasil depende 100% da importação do produto para a produção e os maiores exportadores são Alemanha e Estados Unidos.

A secretária administrativa da associação, Mariana Fagherazzi, que é doutoranda em Produção Vegetal da Udesc Lages, diz que a organização proporcionará condições para que o produtor cresça. "Os produtores poderão compreender melhor as técnicas agrícolas e administrativas, participando e contribuindo para o processo de comercialização".

Mariana comenta que a cultura do lúpulo é considerada recente no Brasil e conta que a ideia de criar a associação surgiu durante um encontro de produtores em Porto Alegre-RS, em 2017, motivando o movimento em Santa Catarina.

Assessoria de Comunicação da Udesc Lages