A greve dos caminhoneiros chega ao seu quarto dia em 21 Estados com manifestações sobre os valores dos combustíveis, principalmente o óleo diesel, que movimenta os veículos de porte pesado. Em Lages, os efeitos dos protestos já são sentidos diretamente na prestação de serviços públicos ofertados pela prefeitura. O prefeito Antonio Ceron convocou uma reunião emergencial com o vice Juliano Polese e o colegiado de secretários e executivos na manhã desta quinta-feira (24 de maio), para traçar um panorama da situação atual no município e delinear as providências.

Ceron determinou a redução imediata no consumo de combustíveis da frota de veículos tanto leves quanto os pesados. Devem ser priorizadas Saúde e Educação com serviços a serem mantidos na medida do possível. A avaliação é de que não haverá interferência significativa até esta sexta-feira. Contudo, os entraves deverão atrapalhar a partir de segunda-feira (28 de maio). Há uma reserva na garagem da prefeitura com 800 litros de diesel, prioritários aos ônibus da Educação, responsáveis pelo transporte de 600 estudantes, algo garantido até sexta agora. Apesar de os combustíveis chegarem a Lages pela linha férrea, vêm puros, e os produtos químicos para a mistura são deslocados pela malha viária terrestre. Portanto, anidrido, etanol e biodiesel estão parados. “A reunião buscou ouvir todos os secretários e a situação está controlada. Todos foram devidamente orientados e voltaremos a dialogar a qualquer momento”, antecipa o prefeito Antonio Ceron.

Vans escolares particulares sentem o impacto. Algumas trabalham somente até esta sexta. Nos supermercados já faltam artigos de hortifruti e leite em pacote. Ovos estão prestes a faltar. Segundo repassado no encontro desta manhã, a Transul garante o transporte coletivo até segunda (28). A coleta de lixo, executada pela Serrana, terá autonomia de combustível até terça (29).

O posto Delta, fornecedor para a prefeitura, abastece Curitibanos, Correia Pinto e dois postos de Lages. Todos os dias são distribuídos 50 mil litros a estes locais. Cada secretário tornou públicos os conflitos cuja pasta está sob sua responsabilidade. A Polícia Militar (PM) informou ter solicitado reserva junto ao posto. Já o Corpo de Bombeiros comunicou que há combustível para toda a região sem, por enquanto, prejudicar o atendimento às ocorrências.

Situação atual em Lages em relação aos serviços da prefeitura:

Saúde: As cargas de oxigênio existentes serão suficientes para até sexta-feira, dia 1º de junho. Este produto vem do Alto Uruguai. O Município oferece a oxigenoterapia gratuitamente. O oxigênio do Hospital Nossa Senhora dos Prazeres chega em caminhões-tanque.

Quanto ao combustível, há uma reserva no posto, de mil litros, destinados aos três veículos Spin, os quais transportam pacientes em consultas e exames em outras cidades, através do Tratamento Fora Domicílio (TFD), de complexidade. Outras três Spins tiveram seu uso cancelado. De diesel há uma reserva de 1.500 litros para ambulâncias do Pronto-Atendimento (P.A.) Tito Bianchini e do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu).

O fornecimento de medicamentos e material de expediente poderá sofrer impacto e diminuição. No Pronto-Atendimento, a situação se mantém tranquila por enquanto, Está garantida a estrutura do P.A. no Parque de Exposições Conta Dinheiro, na Festa Nacional do Pinhão.

Educação: A preocupação maior é com o gás de cozinha e a alimentação dos estudantes da rede municipal, pois 40% das unidades têm gás para até esta quinta (24). Os 60% restantes poderão ficar sem gás nesta sexta. A orientação é que as diretoras utilizem o cartão corporativo disponibilizado pela Secretaria, para comprar botijão em mercados e mercearias próximas ao seu Centro de Educação Infantil Municipal (Ceim) e Escolas Municipais de Educação Básica (Emebs) ou solicitem o empenho para pagamento. O gás vem de Joaçaba e há caminhões parados em Curitibanos, na localidade Patucci. Três unidades foram arrombadas e tiveram seus botijões subtraídos nesta noite: Ceims Cantinho Feliz, Bom Jesus e Miriam Regina O. Koeche.

Sobre a merenda, há leite em estoque somente para esta quinta. A Procuradoria-Geral do Município (Progem) deu parecer favorável a respeito de uma compra emergencial de leite, já providenciada. A suspensão de aulas aos mais de 15 mil alunos nas praticamente 150 unidades não está descartada. Estão presos, em locais da greve, sal, fermento, quirera, amido e leite integral. Materiais de higiene e de limpeza começam a faltar: Papel higiênico, desinfetante e saco de lixo. Nova reunião será feita pelo prefeito no sábado (26) para tomada de decisão sobre a suspensão.

Procon: Profissionais entraram em contato com postos e constaram o seguinte: Postos Beatriz,  Ouro Preto e Sens - pouca quantidade, menos de mil litros disponíveis. Pode acabar ainda nesta quinta;

Postos sem gasolina - Raid, Universitário, Chaplin, Luma, Centenário, Pinheirão. Há 300 litros de gasolina no posto Elefantinho e 10 mil no Central;

Posto Duque - Estoque acabado. Preço gasolina comum de:R$ 4.29,9, aditivada a R$ 4.44,9 e diesel a R$ 3.89,9;

Posto Delta - acabou estoque e não repassaram valores;

Posto Rex – 1.800 litros em estoque. Aditivada a R$ 4.35,9, comum a R$ 4.15,9 e óleo diesel e R$ 3.54,9;

Posto Peruzzo - dez mil litros em estoque. Aditivada a R$ 4.49,9, comum a R$ 4.39,9 e óleo a R$ 3.83,9;

Posto Lageano - acabou estoque. Aditivada a R$ 4.71, comum a R$ 4.28 e óleo a R$ 3.73, e

Posto Guarujá - 2.500 litros em estoque. Aditivada a R$ 4.46, comum a R$ 4.26 e óleo a R$ 3.55.

Para evitar eventuais práticas abusivas de preços, os consumidores devem apresentar a nota fiscal ao Procon.

Semasa: Lages poderá ter problemas com fornecimento de água potável se a greve ultrapassar 15 dias por conta do cloro, vindo de Otacílio Costa, onde também há paradas. Há tanque com capacidade para 15 mil litros e outro com dez mil de combustíveis (este da captação de água), enchidos na segunda-feira desta semana. A ideia é consumir energia elétrica e economizar o diesel utilizado na movimentação das estações.  

Festa Nacional do Pinhão: O evento está confirmado, bem como sua abertura oficial nesta sexta (25), às 20h30 no Parque, com celebração na capelinha às 19h. A participação dos artistas está confirmada, podendo haver alterações devido à chegada de avião. Uma vantagem é que os shows nacionais serão feitos em uma única estrutura, sem trocas - 90% estão montados. Há estruturas metálicas paradas às margens das estradas, mas a parte essencial está em Lages. Infelizmente, 10% dos expositores do Shopinhão acabaram tendo de desistir por conta da greve. Água, bebidas quentes e freezers para boxes estão emperrados nas rodovias. A rede hoteleira está passando por alguns cancelamentos de reserva.

Serviços Públicos e Meio Ambiente: Serviços essenciais serão mantidos nos dois cemitérios e recolhimento de animais. Além disto, haverá redução extremamente considerável no uso de carros.

Assistência Social e Habitação: Há carro à disposição do Conselho Tutelar e ao serviço de Abordagem Social. O restante da frota teve a circulação cortada nesta quinta pela manhã.

Planejamento e Obras: Somente serviços urgentes serão feitos. Para esta sexta estava prevista a pavimentação asfáltica na rua Vera Cruz, bairro Guarujá, mas não irá acontecer por economia de combustível.

Agricultura e Pesca: Máquinas devem parar. Outra preocupação é que está havendo furto de baterias e lonas em alguns dos locais onde as máquinas ficam para trabalhar. Por isso, estão sendo rebocadas. Uma reunião seria feita na Coxilha Rica, e foi suspensa.

Trânsito: Viaturas deverão se restringir ao atendimento a acidentes e nos eventuais problemas com semáforos.

Defesa Civil: Se houver necessidade, o caminhão da Defesa Civil poderá ser cedido para buscar materiais para a Saúde e Educação, uma vez que se trata de ajuda comunitária e de urgência.

Situação nos municípios próximos (conforme repassado pelo vice-prefeito Juliano Polese):

Anita Garibaldi: obras e agricultura paradas

Palmeira: obras paradas

Rio Rufino: TFD disponível até sexta (25)

Bocaina do Sul: Educação até amanhã e urgências

Cerro Negro: obras e agricultura paradas

São Joaquim: obras e agricultura paradas

Urupema: normalmente

Vargem: obras e agricultura paradas

Capão Alto: obras e agricultura paradas

Fotos: Toninho Vieira e Divulgação Whattsapp da Imprensa  - Texto: Ascom/PML