Na sessão de segunda (4/6/18) a vereadora Aida (relatora) entregou seu Relatório Final referente ao processo  de cassação do vereador Jair Júnior (PSD), sendo que ao receber o Relatório a mesa diretora decidiu aplicar como sanção, medida disciplinar de advertência. A decisão da Mesa diretora foi pautada para a sessão de terça (5/6) para ser votada em plenário.

O vereador Amarildo entende que esta CPI é  uma verdadeira retaliação ao vereador por sua postura adotada na Casa Legislativa e principalmente pela sua atuação na CPI, batizada de “CPI do Natal da Infelicidade”, principalmente por ter indiciado o secretário municipal Mario Hoeller de Souza, que então solicitou a cassação do vereador Jair.


Foi assim que o vereador justificou o seu voto contrário à advertência, contraditando os vereadores que alegaram que o vereador Vone tinha sido advertido, então Jair também deveria ser advertido. No entanto o vereador se posicionou de forma adversa afirmando que o processo do vereador Vone e o do Jair são totalmente diferentes.


No seu pronunciamento, o vereador Amarildo também lamentou o fato do vereador Jair, por conta da medida disciplinar recebida, não poder mais compor a Comissão de Educação, Saúde, Cultura e Desporto, junto com os vereadores Amarildo e Pedro Figueredo. Jair dava uma grande contribuição na referida Comissão que tem feito excelente trabalho de visita e fiscalização das Unidades de Saúde e Unidades escolares, e propondo inúmeras matérias voltadas a estas políticas públicas.

 

  Gabinete do vereador José Amarildo Farias