No começo dos anos 2000 (entre 2001 até 2003), quando atuei como assessor de imprensa da Câmara Municipal de Lages (o presidente era Jacinto Bet), o Legislativo de Lages contava com 21 servidores (entre efetivos e comissionados). E haviam 21 vereadores. E a Câmara funcionava muito bem (inclusive com trabalho em tempo integral, incluindo pelo menos duas noites por semana, nos dias em que haviam sessões ordinárias). 

Naqueles tempos, com exceção do Presidente da casa, nenhum dos outros 20 vereadores tinha o privilégio de ter assessores exclusivos. E haviam somente dois profissionais para os serviços de assessoria de imprensa e Tele Câmara. 

Hoje, passados 15 anos daquela época, são 83 servidores (entre efetivos e comissionados). E mais 18 servidores terceirizados, totalizando 101 funcionários. E temos 16 vereadores (cinco a menos). E a Câmara só funciona à tarde (e duas noites por semana, nos dias de sessões ordinárias).  

Respondam com toda sinceridade, meus amigos, vocês não acham que é um exagero de gente trabalhando  na Câmara? 

Do ponto de vista social, geração de empregos, talvez não seja (afinal as pessoas precisam trabalhar. E não temos nada contra quem atua na Câmara). Mas são 101 vagas de trabalho, uma média de 6,3 funcionários para cada um dos 16 vereadores.... gente à beça!!!!

Loreno Siega - Revista Visão