São muitas as atividades da gestão de pessoas que podem ser otimizadas, entre elas, a capacitação de trabalhadores. É o que pretende o projeto "Capacitação Gamificada", desenvolvido pela Consultoria de Inovação da Federação das Indústrias de Santa Catarina (Fiesc) na Serra Catarinense para a Ambev Santa Catarina. Ele foi um dos 11 selecionados em todo o Brasil para expor durante a Olimpíada do Conhecimento do Sesi/Senai, em Brasília.

Há possibilidade da expertise catarinense em assuntos relacionados ao avanço tecnológico na área educacional ser replicada para o coorporativo da empresa na América Latina. “Ser selecionado para expor nosso trabalho em ambiente nacional é uma honra. O interesse da Ambev em talvez replicar o que desenvolvemos, mostra que estamos altamente competitivos de forma estadual e nacional”, destaca o coordenador de Consultoria de Inovação, Guilherme Letti.

Quem também demostrou interesse em transferência de tecnologia foi a Federação das Indústrias do Estado de São Paulo, assim como: Ceará, Roraima e Goiás. O estudo, que contou com a consultoria do Instituto Evaldo Lodi (IEL) e Serviço Social da Indústria (Sesi), chamou atenção ainda de diplomatas da Costa do Marfim.

Para eles, o Brasil é um país referência em tecnologia na área de saúde e segurança no trabalho e conseguiram extrair muito conhecimento para prevenir incidentes e acidentes que ocorrem nas indústrias daquele país.

O projeto

Depois de detectar que o trabalhador jovem não se prende a capacitações tradicionais, o Escritório de Projetos utilizou a tecnologia dos games para chamar a atenção desse público. O formato desperta neles o interesse em adquirir conhecimento em capacitações, principalmente, das Normas Regulamentadoras (NRs) exigidas das empresas.

A estratégia utiliza a criação de jogos como uma ferramenta de aprendizagem com grande potencial de motivar, engajar e inspirar os trabalhadores das empresas. No jogo, todos interagem e gostam de se destacar.

A diretora regional do Sesi Serra Catarinense, Silvia De Pieri Oliveira, lembra que as entidades ligadas à Federação, Sesi, Senai e Iel, estão muito próximas da indústria e atentos às demandas do setor. “Dessa forma, conseguimos contribuir para uma indústria cada vez mais competitiva, com trabalhadores qualificados com novas formas de aprendizagem e utilizando as tecnologias disponíveis”.

Por Catarinas || Fotos: Guilherme Letti e Kelly Bunn