O prefeito Antonio Ceron sancionou a Lei n° 4258, que institui e inclui no calendário oficial de eventos de Lages a Semana Municipal do Escoteiro, cuja data é celebrada mundialmente no dia 23 de abril. A lei, de autoria do vereador Gerson Omar Santos, foi apresentada durante a abertura das Olimpíadas Escoteiras, realizada neste sábado (18 de agosto), nas dependências do Centro de Ciências Agroveterinárias (CAV/Udesc).

A proposta é que sejam realizadas nesta semana diversas ações entre os grupos de escoteiros em conjunto com a sociedade civil e poder público. Serão atividades de conscientização, incentivo e difusão do escotismo e seus valores e princípios, como palestras, debates e atividades educacionais escoteiras. “Transformar crianças e jovens em cidadãos de bem, este é o lema dos escoteiros, levando às nossas crianças noções sobre patriotismo e cidadania. Por isso é uma data que merece nossa atenção”, diz o vereador Gerson, autor da Lei.

As Olimpíadas Escoteiras é um evento que acontece a cada dois anos em um dos distritos regionais, sendo este ano em Lages. No encontro estiveram presentes cerca de 260 membros de nove grupos vindos de oito cidades. Além de Lages, prestigiaram o evento grupos de Rio do Sul, Ituporanga, Taió, Urubici, Ibirama, Curitibanos entre outros. “Desafiamos os jovens participantes a desenvolverem todas as atividades realizadas dentro do escotismo, tanto físicas como intelectuais”, conta o diretor presidente do grupo de escoteiros Heliodoro Muniz, de Lages, Jean Davis Corbellini. Cada grupo realiza suas atividades e no final há premiações. No período noturno uma sessão de cinema exibirá curtas metragens, de até seis minutos, produzidas pelos próprios escoteiros, mostrando o seu dia a dia dentro dos grupos.

A partir da alfabetização, por volta dos sete anos, já é possível ingressar em um grupo de escoteiros, entrando como lobinho, que vai até os dez anos. Depois passa para a categoria “escoteiro”, até os quatorze anos, passando então ao sênior, que vai até os 18 anos. Depois, até 21 anos passa para categoria “pioneiro”, podendo se tornar chefe de grupo a partir de então. No escotismo, os jovens trabalham princípios de religiosidade, disciplina, ética, parte física e intelectual, entre outros valores essenciais para a formação dos cidadãos em desenvolvimento. “Qualquer pessoa, de qualquer idade, pode se tornar um escoteiro. Vemos os benefícios na formação desses jovens, que aprendem a trabalhar em equipe e desenvolvendo atividades dinâmicas, com o aprender fazendo”, comenta Jean.

Fotos: Marcelo Pakinha - Texto: Ascom/PML