Profissionais que atuam na rede municipal de Saúde de Lages participaram na sexta-feira (17 de Agosto) do 1º Seminário Multiprofissional de Práticas Integrativas e Complementares em Saúde (PICS). O evento promovido pela Residência Multiprofissional de Saúda da Família (Uniplac), com apoio da Secretaria de Saúde, reuniu mais de 260 profissionais e acadêmicos que lotaram o auditório do Centro de Ciências Jurídicas da Uniplac. Previstas pelo Sistema Único de Saúde (SUS), sobretudo na atenção primária, até o momento 29 procedimentos terapêuticos baseados em conhecimentos tradicionais, como auriculoterapia, massagem, shantalla, reiki, e acupuntura já são oferecidos à população.

A programação foi dividida em dois blocos de concentração de discussões pela manhã e com o propósito de estimular as práticas, no período da tarde foram realizadas oficinas de shantalla, dança circular, meditação e sobre plantas medicinais. Na abertura do evento, a psicóloga da Residência Multiprofissional, Jordana Aguiar, fez uma apresentação sobre a Política Nacional das Práticas Integrativas e Complementares. Já a implementação das práticas nas Unidades de Saúde em Lages foi o tema apresentado pelas médicas de Família e Comunidade,que atuam na rede municipal, Viviane Mendes Cunha e Karine Maria Bitencourt Gris. As profissionais que já atuam com agulhamento a seco, craniopuntura e auriculoterapia. Além delas, outros 41 profissionais já também atuam nas 27 Unidades Básicas de Saúde com a oferta dos serviços. Durante o evento, um vídeo com depoimentos de pacientes que já recebem os atendimentos relataram os resultados obtidos com os procedimentos.

“O nosso desafio é ampliar e consolidar as PICS, para que mais profissionais que atuam na Saúde possam ofertar as práticas. E por outro, lado sensibilizar a população a buscar esses tratamentos”, comentou a secretária de Saúde, Odila Waldrich, que participou do seminário. O reitor da Uniplac, Kaio Amarante prestigiou a abertura do seminário. Na oportunidade, Odila anunciou a implantação de um Ambulatório Municipal de PICS. “Com a implantação do Ambulatório vamos em um primeiro momento centralizar os cuidados das PICS, para posteriormente descentralizar. Porque a ideia central é desmedicalizar, fazer um cuidado integrado e humanizado dos nossos pacientes, partindo do princípio de que nós não curamos órgãos, mas curamos pessoas”, explica Karine. Segundo ela, as Práticas Complementares e Integrativas possibilitam o olhar o paciente como um todo.

Foi esse olhar que despertou o interesse pelas PICS na agente comunitária de saúde Fabiana de Oliveira. Responsável pela micro área do Guarujá, na Unidade Básica de Saúde do Tributo, ela atua há 17 anos ela na Rede municipal de Saúde. Em 2011 foi convidada pela médica Lucia Coutinho para participar de um treinamento sobre terapia comunitária. “Foi ali que me apaixonei pelas práticas”, afirma Fabiana. Atualmente, além de integrar o grupo terapia da Unidade do Tributo, Fabiana também faz parte do Grupo do Chá e já está buscando qualificação para também atuar com o reiki.

Fotos Cássia Shelen e Keltryn Wendland