A segurança no trânsito no perímetro urbano de Lages ganhou um reforço na manhã desta quarta-feira (5 de setembro), quando a Diretoria de Trânsito (Diretran) recebeu dois radares portáteis de fiscalização de velocidade. Os aparelhos foram apresentados na sede administrativa da Diretran, no primeiro andar do Terminal Rodoviário Dom Honorato Piazera. Um deles será utilizado pela própria Diretran e o outro pela Polícia Militar (PM) mediante convênio com o Estado. Os dispositivos são dotados de bateria noturna, cartão de memória, tripé e flash de câmera, em que um software instalado na Diretran validará as notificações.

O funcionamento técnico dos dois equipamentos, da empresa Laser Tech, foi explicado pelo agente Jean Waltrick Tigre. São radares portáteis diferenciados de um radar móvel, pois este é fixado a uma viatura, frequentemente utilizado pela Polícia Rodoviária Federal (PRF) para o monitoramento das rodovias federais. O radar portátil tem desempenho manualmente e foi adquirido de forma alugada pelo período de 12 meses, com a finalidade de averiguação nas principais avenidas da cidade a partir da aferição e constatação do excesso de velocidade para se atingir o objetivo de inibir novas infrações, prevenir acidentes e preservar vidas. Por enquanto, as lombadas eletrônicas permanecem desativadas, sendo que o edital de licitação para este serviço está em processo de elaboração, em que se faz necessária aprovação pelo Tribunal de Contas do Estado (TCE).

Nesta primeira fase, o uso dos radares terá caráter orientador e de conscientização dos motoristas sobre a direção defensiva e dentro dos parâmetros do Código de Trânsito Brasileiro (CTB). Até o próximo mês, a Diretran fará um trabalho incisivo de reforço à educação, e os locais onde haverá a atuação com radar serão previamente divulgados pelo menos até o final de outubro, quando a providência será reavaliada. Os agentes estarão nas vias com os equipamentos, e nas paradas de condutores, depois de vistoriada a extrapolação da velocidade indicada, terão o intuito de aconselhamento e entrega de um panfleto com informações indispensáveis para a comunidade.

 

Os motoristas flagrados transitando em velocidade incompatível em divergência à velocidade máxima permitida serão comunicados da penalidade a que estarão sujeitos por terem infringido o artigo 218 do Código de Trânsito Brasileiro (CTB), em um das três seguintes descrições: transitar em velocidade superior a máxima permitida em até 20% - infração média, multa de R$ 130,16 e quatro pontos na Carteira Nacional de Habilitação (CNH); transitar em mais de 20% até 50% - infração grave, multa de R$ 195,23 e cinco pontos na Carteira, e transitar em mais de 50% - infração gravíssima, multa de R$ 880,41 e suspensão imediata do direito de dirigir e apreensão do documento de habilitação. “Pedimos gentilmente vossa compreensão e colaboração para termos um trânsito mais humanizado em nossa cidade”, expõe o panfleto. As ideias fazem parte da campanha da Semana Nacional do Trânsito - Nós Somos o Trânsito, de 18 a 25 de setembro.

 

A fiscalização acontecerá em pontos críticos onde há maiores estatísticas de acidentes registrados, pontos de maior conflito, a exemplo da avenida Belizário Ramos (Carahá). Tornar o trânsito mais humanizado é um papel coletivo, com atitudes individuais diárias. “O principal motivo dos radares não é arrecadação financeira, mas sim a conscientização dos nossos motoristas do município. Precisamos diminuir índices e influenciar em uma mudança de comportamento, resguardando a integridade física das pessoas, reduzir os danos ao patrimônio e buscar a prevenção, com atenção especial também às crianças e adolescentes na educação”, pontua o secretário de Planejamento e Obras, Claiton Bortoluzzi. O diretor de trânsito (Diretran), Rogério Juary Gonçalves de Almeida; o gerente administrativo-financeiro do órgão, Ivan Andrade Garcia, e a gerente de Educação de Trânsito, Fátima de Souza, compareceram à entrega dos radares portáteis.

Na imprudência, multa

Acidentes graves têm ocorrido com frequência, principalmente nos horários da noite mais suscetíveis a sinistros e nas madrugadas nos finais de semana, incluindo invasão de estabelecimento, calçadas e danificação de postes de iluminação pública devido à imprudência ao volante, agregada à velocidade. A fiscalização com radar será intensificada nos finais de semana em determinados horários de maior risco de ocorrências. E transcorrido o período de orientação, haverá autuações. “No local onde houver a fiscalização iremos inserir no aparelho a velocidade da via e para autuações há margem de sete quilômetros por hora, ou seja, em uma via onde se deve respeitar o limite de 60 quilômetros por hora, a autuação se dará a partir de 68. É um radar de fácil manuseio, com precisão porque oferece clareza na aferição da velocidade, e se mais próximo registra a fotografia da placa. Para nós agentes, é um utensílio de fundamental importância, pois temos preocupações em cuidar da vida das pessoas”, reitera Tigre. No caso dos radares, em caso de verificada infração de velocidade, o cidadão será notificado em sua residência, sendo que a autuação segue para o endereço no qual está cadastrada a placa do veículo, e decorrerá o prazo para defesa e recurso. Passado o prazo será gerada a multa com data máxima para quitação. Está em etapa de planejamento a sinalização vertical da velocidade máxima permitida a ser implantada nos locais onde ainda não existe este recurso, além do previsto pela legislação.

Fotos: Marcelo Pakinha e Diretran/Divulgação