Sabem aquela ""dinheirama" toda que o Congresso aprovou como Fundo Partidário para financiar as campanhas eleitorais deste ano? Foi algo em torno de R$ 1,7 bilhão, dividido proporcionalmente conforme o tamanho de cada partido no Congresso (Câmara e Senado). A maior fatia disso tudo ficou com o PMDB, com R$ 260 mihões. Logo em seguida veio o PT, com R$ 220 milhões. 

Pois é. Mas parece que essa grana está sendo utilizada apenas e tão somente para financiar os gastos de campanha das chapas majoritárias (Presidente e Governadores) e para os candidatos que já tem mandato. Os demais, pobres mortais, "que se lasquem". 

Que democracia é essa? Que igualdade é essa? Que chances terão os candidatos  "pobres  mortais" que não tem mandato ou que estão concorrendo pela primeira vez? Pagarão suas contas de campanha do próprio bolso?

Será que a Justiça não deveria fiscalizar esse tipo de DESIGUALDADE  já que o dinheiro é público? Não deveria haver uma proporcionalidade de recursos para cada tipo de candidatura dentro do que cabe de recursos a cada partido?

Imagine-se você candidato, gastando seu  tempo e a sola do seu sapato para  pedir votos para seus candidatos a Presidente, Governador, Senado e sem dinheiro algum do fundo partidário? 

INJUSTO, DESIGUAL, DESLEAL. POR AÍ COMEÇA A CORRUPÇÃO. 

Loreno Siega - Revista Visão