Os 100 anos de fundação do Centro Cívico Cruz e Souza serão celebrados no dia 22 de setembro e para comemorar essa data festiva a Câmara Municipal promoveu uma sessão solene nesta quarta-feira (19). Na ocasião, o Poder Legislativo concedeu uma placa comemorativa ao mais antigo clube social em atividade no município. Certificados de “Homenagem Especial” também foram concedidos aos ex-presidentes do clube.

Após a solenidade, colaboradores e entidades que ajudaram a construir a história do clube também foram agraciados com placas e certificados. A iniciativa da homenagem foi dos vereadores Moisés Savian (PT) e David Moro (MDB), que tiveram aprovado por unanimidade pelos demais edis o projeto de decreto legislativo 008/2018.

Na sessão, que contou com a presença de autoridades municipais, diretoria do clube, sócios remidos, simpatizantes e comunidade em geral, os proponentes da homenagem enalteceram a importância histórica, social e cultural do Cruz e Souza para a cidade. “Quero parabenizar a todos por esses 100 anos e lembrar com orgulho daqueles que com sacrifícios, dificuldades, glórias, vitórias e superações contribuíram para o início desse clube tão importante para a sociedade lageana”, parabenizou David.

Da mesma forma, o vereador Moisés cumprimentou os homenageados. “O clube surgiu como resposta a dificuldade que os negros enfrentavam numa sociedade racista, então falar desta instituição é falar da igualdade racial e do combate a discriminação. Esse é um momento de celebração, pois muitos clubes surgidos na mesma época deixaram de existir, então se o Cruz e Souza persiste hoje, ele é um patrimônio histórico e cultural de Lages”, enalteceu

Cruz e Souza é o berço da cultura negra em Lages

O Cruz e Souza foi fundado em 1918 com a finalidade de ser um local para entretenimento da população negra do município do início do século 20, embora abrisse suas portas também para quem dele quisesse participar, independente de sua condição étnica. “Os descendentes de escravos foram os fundadores do clube e representaram uma caminhada de integração e transformação social e econômica dos negros de Lages”, explicou o presidente do Cruz e Souza, Mário Guedes, que também afirmou que essa iniciativa contribuiu na construção histórica de Lages e do Planalto Serrano.

Completando seus 100 anos, atualmente a sede social do clube promove festas, bailes, solenidades, concursos, aulas de capoeira e ballet, rodas de samba, entre outros. O centenário vem sendo celebrado através de várias ações organizadas pela diretoria do clube, entre os quais a Semana Cultural Comemorativa ao Centenário, que encerra suas atividades no dia 22, data da fundação, quando acontece um baile e jantar festivo. “O Cruz e Souza é o berço da cultura negra através de sua música, dança, gastronomia, artesanato e religiões de matriz africana. Comemorar os cem anos de fundação é valorizar nosso grupo étnico e cultural de origem afro,” frisou o presidente.

Em nome da diretoria do clube e demais homenageados, Guedes agradeceu pelo reconhecimento legislativo alusivo a data. “Receber esta homenagem nos engrandece e valoriza nossa história, nosso clube e nossa gente. Temos a responsabilidade de manter viva a nossa cultura e tradições. Estamos felizes e agradecidos pela lembrança de todos.”

Texto e Fotos: Assess. de  Imprensa da Câmara de Lages