Poder um dia trabalhar nas nuvens toma o espaço dos pensamentos de milhares de pessoas no mundo inteiro. Entretanto, esta vontade está perto de se tornar concreta com o curso de comissário de bordo em Lages, uma turma inédita a ser aberta pela Just Fly Escola de Aviação Civil, e há parceria do Programa Qualifica Mais Lages. A qualificação compreenderá o total de 160 horas/aula, portanto, entre oito e dez meses de duração.

As aulas irão começar no dia 6 de outubro, sábado, dia da semana fixo para os encontros entre instrutores e alunos, no horário das 14h às 19h. As vagas são limitadas a 15 por turma. Os instrutores são adequadamente qualificados para tal e inseridos no sistema de aviação civil.

O valor do curso é de R$ 3 mil à vista ou R$ 3.200 em uma entrada e mais sete parcelas de R$ 400 no cheque, cartão ou boleto. A taxa de matrícula custa R$ 100. Porém, diante da parceria articulada com o Município, cinco pessoas terão direito a um desconto expressivo para ter esta oportunidade. Esta é uma forma de tornar a especialização mais acessível. A análise de perfil para tal será criteriosa e os requisitos deverão ser cumpridos.

As informações poderão ser adquiridas a partir da próxima semana, a primeira de outubro, junto à Secretaria do Desenvolvimento Econômico e Turismo, situada à rua Sebastião Furtado, nº: 81, esquina com a rua Benjamin Constant, Centro, a uma quadra da Policlínica Municipal. Portanto, quem deseja obter este benefício deverá se dirigir à Secretaria, e os demais, à Escola Just Fly. As conversas têm sido feitas entre o secretário do Desenvolvimento, Mario Hoeller de Souza, e Klaus Klinger, um dos representantes da Escola.

Exigências

O curso tem como pré-requisitos, aos interessados, idade mínima de 18 anos, altura mínima feminina de 1,58 metro e masculina de 1,65, altura máxima de 1,90 para ambos, peso proporcional à altura, e ensino médio completo. Para a inscrição, na base da Escola, no Aeroporto Federal Antônio Correia Pinto de Macedo, em Lages, são exigidos os seguintes documentos: Cópia da carteira de identidade, CPF, título de eleitor, histórico de conclusão do ensino médio autenticado, comprovante de residência e Certificado Médico Aeronáutico (CMA), certificado de reservista (para homens) e uma foto 3X4. Às mulheres, o uniforme, de uso obrigatório, deve ser composto por sapato, blazer, saia, camisa e lenço azul (por conta da aluna), e para os homens pede-se, obrigatoriamente, blazer, camisa, calça, sapato e gravata azul, também por conta do aluno.

O participante necessita fazer o CMA. Sem este Certificado não se pode concluir o curso. Os alunos podem iniciar o curso e têm o prazo máximo de até 120 dias para fazer o CMA e entregá-lo à Escola. Este documento é revalidado a cada cinco anos.

O Certificado é imprescindível para as práticas de sobrevivência e comprova que o aluno está apto em questões de saúde para trabalhar. Sua função é certificar a aptidão física e mental do tripulante e busca limitar a chance de risco à segurança do voo, decorrente de problemas de saúde. A Carteira de Saúde exigida pela Anac deve ser reivindicada a clínicas credenciadas pela Agência Nacional de Aviação Civil (Anac): Clínica AeroClin, em Curitiba (PR); Hospital PMSC, em Florianópolis, e médico Fernando Celli, de Rio do Sul.

Fotos: Just Fly/Divulgação