Depois do 1º turno das eleições, transcorrido no dia 07 de outubro, ninguém mais viu ou sabe informar onde se encontra o ex-Governador Raimundo Colombo. 

Há quem diga que ele viajou para a Europa. Há quem diga que está no Brasil mesmo, numa praia do Nordeste, curtindo a vida. 

Outros dizem que está na Fazenda da Coxilha Rica, só cuidando da "boiada". 

Agora falando sério, cadê o homem? 

O candidato do partido dele, Gelson Merísio, não está no 2º turno das eleições? Cadê um depoimento do ex-governador em apoio ao seu candidato?

Os dois brigaram? (se é que alguma vez já foram amigos de verdade, tenho lá minhas dúvidas...). 

Teria "quebrado o Estado"?

Colega meu de blog - que por sinal é eleitor contumaz do ex-governador - me disse que Colombo perdeu porque "quebrou o Estado". E que o próximo governador que assumir "vai pagar o pato". Disse mais o amigo (não digo o nome por uma questão de ética - mas é e sempre esteve dos lados do Colombo). "O Colombo só perdeu porque deixou muita coisa por fazer". 

De fato: eu não conheço a realidade das outras regiões. Mas aqui na Serra Catarinense, realmente, muita coisa ficou no começo ou  pela  metade do caminho. 

Senão, vejamos:

1) Nova ala do HTR - Aquela que seria o grande legado de Colombo em seus 8 anos de Governo, apenas o prédio físico ficou completo, com aquisição da maior parte do mobiliário e equipamentos - o que não é pouca coisa - mais de R$ 100 milhões investidos - Mas, vai precisar de 950 novos servidores (dito pela Diretora do HTR). Quanto vai custar para contratar e manter esse pessoal todo? Quem vai fazer? Quando a nova ala estará funcionando plenamente?

2) Aeroporto Regional de Correia Pinto - Colombo terminou o que precisava na parte física da obra -  inclusive com equipamentos básicos para operação. Mas não colocou aquela caríssima e importantíssima estrutura para funcionar (o Governo do Estado está pagando R$ 127 mil por mês para a Infraero administrar aquele aeroporto, que está servindo por enquanto para urubu sentar e para quero quero fazer seus ninhos ao lado da pista);

3) Revitalização do Centro de Lages - Obra somente agora vai ser licitada - E faltarão pelo menos outros R$ 10 milhões para concluir;

4) Revitalização e reforma do Mercado Público - Vão faltar pelo menos R$ 4 milhões para concluir a obra (dito nesta manhã pelo Secretário de Obras de Lages, Clayton Bortoluzzi);

5) Asfalto da Coxilha Rica - Temos até agora 7 Km de asfalto prontos. A primeira etapa prevê a pavimentação de 27 Km. A obra terá continuidade com o próximo Governo? Quanta grana será necessário para terminar apenas essa primeira parte?

6) Asfalto entre Curitibanos e a BR-282, em São  José do Cerrito - Obras estão bem avançadas. Mas também não serão concluídas até o final deste ano. O próximo governador vai terminar?

7) Rodovia Caminhos da Neve - Parece que já temos perto de 20 Km asfaltados (o que também não é pouco). Mas ainda faltam uns 8 a 10 quilômetros do lado catarinense. Quem vai terminar? 

8) Cadê o Colombo para ajudar a eleger o Gelson Merísio? E se quem ganhar as eleições for o Comandante Moisés no próximo domingo? A quem o Prefeito Ceron vai recorrer? Ao Marcius Machado?

- Com relação ao Colombo, não foi por falta de aviso (modéstia à parte). Em fevereiro deste ano, no editorial da Revista Visão, a gente pediu para ele ficar no Governo e não concorrer. Teria mais 10 meses no Governo para concluir ou adiantar bastante essas e outras obras. Sairia de cabeça erguida, mostrando que não é um político carreirista. Não. Insistiu em concorrer. Deu no que deu. Repito: não foi por falta de aviso (vejam o que eu dizia no Editorial abaixo ou na própria Visão de fevereiro deste ano). 

Loreno Siega - Revista Visão