Cerca de 300 pessoas, entre autoridades, parceiros, clientes e jornalistas prestigiaram na noite desta quinta-feira (25), no Clube Serrano, em Lages, a festa de comemoração pelos 20 anos do Banco da Família, maior operadora de microfinanças do Sul do Brasil, com sede no município. Durante o evento também foi lançada a obra “Impacto social, lucro para todos” que conta a trajetória da instituição.

O evento foi marcado pela emoção. Em seu discurso, a presidente da instituição, Isabel Baggio, fez um relato sobre a criação do banco, lembrando que nos primeiros anos foi necessária uma grande dose de resiliência. “Eu batia de porta em porta apresentando a ideia, que era muito inovadora, e pedindo o apoio de empresas. A cidade de Lages vivia um momento de depressão econômica muito grande e eu explicava que precisávamos nos unir para incentivar a geração de renda”, disse. 

O empresário Humberto Arantes, primeiro a fazer um aporte financeiro na instituição, atualmente conselheiro do Banco da Família, disse que a ideia já era inovadora naquela época. “Lembro da Isabel falando que iniciativa semelhante tinha obtido sucesso na Índia, mas era tudo muito novo. Desde o início acreditei na ideia”. 

O vice-prefeito de Lages, Juliano Polese, também saudou a dirigente do Banco e destacou o ineditismo e a importância da iniciativa. “O Banco da Família é um dos orgulhos de Lages”, comentou, lembrando que o município tem investido nos últimos anos em ações que visam a estimular a inovação como uma nova frente de atuação econômica. Após a solenidade os fundadores, primeiros investidores e cliente do banco receberam uma homenagem. A presidente Isabel Baggio também foi surpreendida por uma homenagem feita pelos colaboradores e conselheiros.

Criado em 1998, sob o nome Banco da Mulher, surgiu por uma iniciativa da Câmara da Mulher Empresária, da Associação Comercial e Industrial de Lages (ACIL), após constatarem que grande parte dos micro e pequenos negócios da região era liderado por mulheres. Desde o princípio, o Banco da Família buscou oferecer uma alternativa de crédito aos pequenos negócios, formais e informais, de forma simplificada e eficiente.

“Desenvolvemos uma forma inédita para financiar pessoas de menor renda: aglutinamos os esforços da própria comunidade, de empresas tradicionais e também do poder público”, afirma a presidente Isabel Baggio. “Em resumo, inovamos porque implementamos soluções até então nunca colocadas em prática por governantes e estudiosos do assunto”.

A instituição preencheu uma lacuna que existia à época, onde 98% dos negócios, na região de Lages, eram micro ou pequenas empresas, com poucas opções na oferta de crédito para impulsionar o empreendedorismo. Diante de novas exigências, necessidades e visando aumentar a sua abrangência, em 2003, a instituição, que até então era conhecida como Banco da Mulher, mudou e ampliou, passando a se chamar Banco da Família.

Sua história registra uma das experiências mais importantes em negócios inclusivos na América Latina. “Os números espelham os resultados conquistados após anos de investimentos em pessoas, muitas horas de treinamento, conexões e parcerias com organizações públicas e privadas, mas acima de tudo amor ao próximo e desejo de promover a qualidade de vida de pessoas invisíveis às estruturas tradicionais de mercado”, complementa a presidente da instituição.

All Press Comunicação