Jair Messias Bolsonaro, 63 anos, do PSL, foi eleito neste domingo (28/10) o novo Presidente do Brasil. Bolsonaro foi eleito com 55% dos votos válidos, que totalizaram 57.787.869 de votos. Fernando Haddad, do PT, ficou com 45% dos votos válidos, obtendo 47.022.217 votos. A diferença de votos pró Bolsonaro foi de pouco mais de 10,7 milhões de votos, uma expressiva votação. 

Bolsonaro venceu com larga margem em 15 Estados (Sul, Sudeste e Centro Oeste)  e no Distrito Federal. Fernando Haddad venceu em 11 estados (9 do Nordeste, além do Pará e Tocantins, também com boa margem de votos). 

Importante salientar que mais de 31,3 milhões de eleitores não compareceram para votar. Isso representa 21,29% dos eleitores. Compareceram às urnas mas votaram em branco um total de 2.486.096 votos (2,14%). Compareceram às urnas mas votaram nulo um total de 8.606.388 votos (7,43% dos votos). 

Somando-se os votos de Fernando Haddad (47 milhões) + brancos + nulos + abstenções - temos um total de quase 89 milhões de eleitores. Isso significa que os 57 milhões de votos obtidos por Bolsonaro representam apenas 38,5% do total de eleitores brasileiros. Portanto, 61,5% dos eleitores do Brasil não votaram em Bolsonaro neste domingo (o Brasil tem 149,7 milhões de eleitores e 207 milhões de habitantes). 

Discurso de Bolsonaro

Pouco depois de confirmada sua vitória nas urnas, Bolsonaro fez dois pronunciamentos. No primeiro, feito através da câmera de um celular, agradeceu a Deus pela vitória e a seus mais de 57 milhões de eleitores. Pouco depois, em outro pronunciamento (desta vez lido), falou mais. Garantiu que fará um governo para todos os brasileiros. Que não haverá corrupção e indicações políticas para seus ministérios. E que vai respeitar a Constituição, as liberdades individuais e a democracia. Ele também disse que sua grande meta é melhorar a economia, zerar o déficit público e assim conseguir gerar empregos. No final, o senador Magno Malta, do Espírito Santo, que também é pastor, puxou uma oração de mãos dadas com Bolsonaro, com sua esposa, com o deputado Onix Lorenzon (do RS) e com os demais presentes. 

Discurso de Fernando Haddad 

Depois do pronunciamento de Bolsonaro, foi a vez de Fernando Haddad, do PT, fazer seu pronunciamento. Como ele não foi citado por Bolsonaro, também não citou e não parabenizou o candidato vitorioso. De um hotel de São Paulo, ao lado da esposa, da vice Manuela D´Ávila, de Guilherme Boulos e de vários outros apoiadores, Haddad agradeceu os mais de 47 milhões de votos. Disse que o momento é grave e que sentiu nos olhos e no semblante de muita gente, durante a campanha, um grande medo. Falou que os desafios do PT - e dele enquanto pessoa - serão enormes na oposição, buscando garantir que o povo brasileiro, especialmente os trabalhadores, as populações mais pobres, as minorias como gays, negros, índios e migrantes - além das mulheres - tenham seus direitos garantidos e respeitados. "Vocês podem continuar de cabeça erguida", disse Haddad. "Nós estaremos abraçados a vocês na luta que não deve parar jamais. Se preciso for, colocaremos as nossas vidas pela defesa do Brasil e dos brasileiros", enumerou. 

Loreno Siega - Revista Visão  - Fotos: Divulgação