A ideia do projeto surgiu  durante reuniões de planejamento do Ensino Médio Inovador no segundo semestre de 2018.  O objetivo foi o de valorizar  a cultura local, revivendo e resgatando a história de Lages, oportunizando aos alunos  do Ensino Médio Inovador, entre outros trabalhos, a criação e exibição  de audiovisuais,  bem como a elaboração de maquetes retratando o patrimônio histórico da cidade. A cerimônia de  abertura   aconteceu na manhã de quinta-feira (8), nas dependências do educandário  e apresentações se estenderam ao longo do dia.

Durante três meses e orientados  pela equipe pedagógica da escola, alunos  visitaram pontos turísticos e asilos, conversaram com pessoas buscando por mais conhecimento sobre a história de Lages bem como suas lendas  famosas  onde duas delas, “a serpente do Tanque” (teatro de sombra)  e “o defunto que sumiu” (peça encenada por alunos da 4a série),  foram  apresentadas aos demais estudantes  e professores . “É impressionante até onde   podemos  chegar  quando temos a  oportunidade e suporte para tirar projetos do papel. O que vimos  hoje nesta escola pública nos encheu de orgulho”, disse o secretário  da Agência de Desenvolvimento Regional – ADR Lages, Juarez Mattos, um dos convidados do evento.

O dia também  serviu para a apresentação dos curtas domésticos: conhecendo Lages. Um deles,  “Encontro de Gerações”,  emocionou a plateia presente. Ele foi todo gravado  em um dos asilos da cidade onde,  até então, os estudantes nunca haviam estado.  “A visita ao asilo foi gratificante e  além  do curta produzido  a turma montou um livro de crônicas onde contam suas experiências no projeto. São textos surpreendentes e muito bem escritos”, disse  a toda orgulhosa  gestora da escola, Angelita Ramos da Silva.

Os curtas “Milagreira cigana Simbica”, “Clube Internacional de Lages” e “Raios em Santa  Catarina”, encerraram as apresentações dos alunos envolvidos que para as produções utilizaram equipamentos próprios (aparelhos celulares, microfone, caixa de som). “Pesquisamos, lemos muito, fomos  em busca do conhecimento e hoje trouxemos o resultado. Quem sabe  quantos arquitetos, cineastas, contadores de histórias, entre outras profissões,   poderão sair daqui depois dessa experiência toda”,  disse o estudante  do  Ensino Médio Inovador, Marcelo Cordeiro, de 18 anos.

Assessoria de comunicação - Agência de Desenvolvimento Regional – ADR Lages