Os dias e noites vão se afunilando e o Natal está cada vez mais perto. Os ponteiros do relógio parecem andar acelerados e os dias dão a impressão de estarem bem mais curtos. Todo final de ano é a mesma coisa: as pessoas correm desenfreadas no vai e vem pelas calçadas para resolver todas as pendências antes de desligar o ritmo e ter o merecido descanso ao lado da família e amigos. O Natal está batendo à porta e a Casa da Mamãe Noel, uma requintada e elegante loja no coração do centro da cidade, abre suas portas diariamente, agora com período de atendimento ampliado para propiciar mais tempo e comodidade aos clientes que buscam agradar e surpreender os amados. Até o dia 23 de dezembro (domingo), antevéspera de Natal, das 10h às 22h, ininterruptamente.

Ao público estão disponíveis mais de mil artigos, desde preços mais acessíveis até peças mais elaboradas a valores um pouco mais elevados, na loja situada na rua Correia Pinto, ao lado das lojas Havan. A Casa está aberta desde o dia 1º de dezembro e expõe o trabalho sutil e delicado das mãos de artesãos de Lages.

E tem mimo e agrado para todos os gostos: pai, mãe, irmão, filho, tio, avô, madrinha, sobrinho, afilhado, esposo, namorado, paquera. Nove grupos de artesanato preparam cada peça exclusiva manualmente e organizam as prateleiras e expositores com capricho, detalhismo e o charme e minúcia típicos das artes manuais, um verdadeiro vitrinismo de primor e refino. Arte Terapia, Associação Tramatusa de Artesanato, Cia do Vime (Gilmar de Liz Rosa), Lúcia Artes, Ciranda Artes, Criart’s, Chico’s Couro, Associação Lageana de Artesanato e Luz e Vida, com engajamento de aproximadamente 50 participantes.

O valor arrecadado por cada instituição serve para agregar renda às artesãs e artesãos, um pé de meia para o final de ano e férias destes artistas. As matérias-primas valorizam a riqueza regional, como fitatusa, vime, lã, algodão, madeira, couro, pinhão, além de vidro, PVC, EVA, feltro, e técnicas como costura, crochê, tricô, bordado, biscuit, patchwork, pintura, pirografia e aplicação de pérolas e flores. Para quem gosta das tentações gastronômicas do Natal, doce é o que não falta, as tradicionais bolachas pintadas, biscoitos caseiros do tempo da vovó, geleias de frutas, doce de gila e souvernirs de Lages e Serra.

Texto e fotos: Daniele Mendes de Melo