Uma iniciativa da Administração Municipal que visa aprimorar, informatizar e agilizar os trabalhos executados pelos Agentes Comunitários de Saúde em Lages. Na tarde desta segunda-feira (28 de janeiro), na Unidade Básica de Saúde do bairro Santa Catarina, o prefeito em exercício, Juliano Polese e a secretária municipal, Odila Waldrich, realizaram a entrega dos primeiros tablets aos Agentes Comunitários.

Esta nova ferramenta, adquirida com recursos anteriores do Programa Nacional de Melhoria de Acesso e da Qualidade da Atenção Básica (PMAQ), possibilitará aos profissionais a realização das visitas domiciliares, entrevistas e assinatura digital do morador. Caso necessário será possível também comprovar a visita através de foto. “O Agente de Saúde irá retornar para a sua Unidade e descarregar as informação diretamente no sistema, sem a necessidade de digitar tudo novamente. É o fim do velho caderno de anotações”, explica a secretária Odila.

Para o prefeito em exercício, Juliano Polese, este é um investimento que melhora as condições de trabalho dos Agentes Comunitários de Saúde. Uma ação planejada desde o ano de 2007. “Alguns municípios já trabalham com este sistema digital. É importante ressaltar que todos os Agentes de Saúde estão sendo qualificados para que possam utilizar estes tablets da forma correta”.

A Secretaria Municipal da Saúde adquiriu 300 tablets. Todos estão configurados pela empresa responsável, a Inovadora Sistemas. “Lages dá um importante passo em tecnologia e inovação no setor da Saúde. O sistema é trabalhado na forma que preconiza o Ministério da Saúde”, explicou o gerente de Negócios da empresa, Ronaldo Antônio Pozzobon.  

Saiba Mais

De acordo com o Ministério da Saúde, oficialmente implantado pelo Governo Federal  em 1991, o então Programa de Agentes Comunitários de Saúde (PACS) teve início no fim da década de 1980 como uma iniciativa de algumas áreas do Nordeste (e outros lugares, como o Distrito Federal e São Paulo). Na época, a iniciativa visava a busca de  alternativas para melhorares condições de saúde de suas comunidades. Era uma nova categoria de trabalhadores, formada pela e para a própria comunidade, atuando e fazendo parte da saúde prestada nas localidades.

Hoje, a profissão de Agente Comunitário de Saúde (ACS) é uma das mais estudadas pelas universidades de todo o País. Isso pelo fato de os Agentes transitarem por ambos os espaços – governo e comunidade – e intermediarem essa interlocução. O que não é tarefa fácil.

O agente comunitário de saúde tem um papel muito importante no acolhimento, pois é membro da equipe que faz parte da comunidade, o que permite a criação de vínculos mais facilmente, propiciando o contato direto com a equipe técnica.

Texto: Ari Junior