As últimas semanas têm sido de calor intenso em Lages. Combinado com o período de férias escolares este fator está ocasionando picos de altíssimo consumo de água na cidade. Com isso, a situação de abastecimento está fora do normal. Para se ter uma ideia no mês de dezembro a empresa responsável e a Secretaria de Águas e Saneamento (Semasa) registraram recordes de volume de água produzida e distribuída na cidade.

De acordo com o secretário municipal da Semasa, Jurandi Agustini, nestes casos se opera com os três conjuntos de motobombas na unidade de captação de água bruta – Erab 3. “Estamos trabalhando no limite do tratamento e abastecimento de água potável em Lages. O altíssimo consumo nas últimas semanas faz ligar um alerta com relação ao desperdício de água potável”, comenta o secretário.

Para não ter problemas no sistema de abastecimento de água na cidade a Semasa alerta para os desperdícios por parte da população. Não lave carros, calçadas, paredes de casas, não molhe a rua e principalmente controle o enchimento de piscinas. “Todo mundo quer ser refrescar neste verão. Mas temos que saber usar de forma consciente a água potável para não prejudicarmos o restante da cidade”, salienta Jurandi.

Com o alto consumo o sistema opera além da capacidade de tratamento da água. “Para tratar mais água temos que fazer mais procedimentos de limpeza dos decantadores. E como o consumo de água está altíssimo não conseguimos realizar estes serviços nos últimos dias, pois a paralisação para tal impactaria drasticamente nos níveis dos reservatórios. Isto está gerando um aumento significativo de suspensão na estação, demandando mais produtos químicos, sobrecarregando os filtros, reduzindo o volume de água disponível no reservatório e consequentemente impactando nos níveis dos reservatórios de distribuição”, explica o diretor de operações da Semasa, Ademir Frabício.

Para realizar estas limpezas dos decantadores a empresa responsável necessita obrigatoriamente de uma trégua no consumo, que normalmente acontece com pelo menos dois dias de chuva ou redução da temperatura.

Índices dos reservatórios

A cada dia que passa o sistema amanhece com índices mais baixos nos reservatórios de água. Nesta quarta-feira (30 de janeiro), o reservatório R 1 amanheceu em 51% e o R 3 em 64% (isso já às 8 horas). Às 11h13 o reservatório R 1 operava em 31% e o R 3 em 43% da capacidade.  “Por isso pedimos mais uma vez para a população de Lages fazer o uso consciente da água potável. Assim, evitaremos trabalhar no limite de abastecimento”, conclui o secretário Jurandi.

Texto: Ari Junior - Foto: Arquivo