Há cinco anos, o Colégio Industrial de Lages era considerado a escola mais violenta de Lages. Atualmente, a instituição de ensino ostenta o índice de violência zero. Esse resultado é fruto de um trabalho árduo, realizado pela diretoria da entidade em parceria com a Polícia Militar de Lages, por meio da Rede de Segurança Escolar.  

O diretor da escola, Armando José Duarte, relata que o programa da RSE veio para somar. “É um projeto maravilhoso, os estudantes e funcionários já estão acostumados com a presença dos policiais dentro do ambiente escolar fazendo um trabalho preventivo, orientando e protegendo nossos alunos”.

A redução nos índices de violência foi percebida em todas as 20 instituições que participam do programa. O coordenador da Rede, sargento José Valdir Goedert, destaca que em 2016, quando A RRS ainda não existia foram registradas 77 ocorrências. Nos anos de 2017 e 2018, já com o projeto em andamento, foram 24 ocorrências. “Se fizermos um comparativo, ficamos entre 70 e 80% de redução de conflitos por ano”.

Os números são bastante positivos, mas a Polícia Militar quer melhorar ainda mais os indicativos de segurança no ambiente escolar. Para isso traçou novidades para 2019. O comandante, tenente-coronel, Alfredo Nogueira, conta que as escolas receberão vistorias voltadas a garantir maior segurança. “Serão avaliados vários requisitos de segurança. As instituições que atingirem um total de requisitos, serão certificadas com uma placa registrando que a escola pertence a RSE”.

Outros dois colégios farão parte do Programa. A Escola de Educação Básica Nossa Senhora do Rosário e São Judas Tadeu. Além disso, policiais militares do 6º Batalhão de Polícia Militar serão homenageados durante formatura de elogios que ocorrerão todos os meses dentro das próprias escolas. Uma forma dos estudantes entenderem como funciona a rotina militar.

Ações como o Jovens de Atitude, alunos multiplicadores de boas ações na comunidade escolar, palestras, orientação aos alunos e participação em reuniões de pais, permanecem.

Por Catarinas || Imagens: arquivo RRS/PM