Quem resiste a um domingo de Sol com calor de 23 graus em pleno outono? Ninguém consegue ficar dentro de casa com um dia tão lindo lá fora. Foi o contexto ideal para a segunda edição do evento Viva Lages Melhor neste 24 de março, o conjunto de atividades de esporte e lazer para crianças, adolescentes, jovens, adultos e idosos gastarem energia e se integrarem com familiares e amigos. Uma iniciativa da prefeitura de Lages, através da Fundação Municipal de Esportes (FME), em parceria com secretarias municipais, o Viva Lages Melhor ofereceu um compacto de atrações no Complexo Jones Minosso, nas dependências externas do Ginásio Municipal.

A comunidade ficou à vontade para usufruir das duas quadras de vôlei de areia, quadra de futebol de areia, duas quadras de basquete 3X3 com direito à arquibancada, pista de bicicross, três pistas de caminhada - curta, média e longa, com calçadas praticamente prontas, espaço pavimentado para rollers e patins, praça arborizada e a pista de skate da Praça do Centro de Artes e Esportes Unificados (CEU). No tatame colocado sobre o gramado, atletas puderam dar demonstrações e instruções básicas de jiu-jitsu. O espaço possui paisagismo e há bancos e lixeiras novas para organizar e embelezar o local. Foi dia de ganhar um dinheiro extra, já que a criançada pôde comprar picolés e algodão doce. “O domingo foi um dia maravilhoso para a comunidade. Que os próximos sejam assim, pois todos precisam desligar um pouco das preocupações e utilizar este espaço preparado para o povo de Lages”, comenta o prefeito Antonio Ceron.

Da série de obras custeadas pelo Governo do Estado como bagagem deixada para Lages durante os Jogos Abertos de Santa Catarina (Jasc) 2017, falta finalizar somente as calçadas e fazer a ligação dos postes de iluminação pública, garantindo maior visibilidade e segurança para exercícios, treinos e lazer noturnos. O Complexo está à disposição da população todos os dias da semana, principalmente aos sábados e domingos, quando o público está de folga ou tem maior tempo para lazer. A primeira edição do Viva Lages Melhor aconteceu no último domingo de fevereiro com participação de cerca de 250 pessoas. Será uma vez por mês, com tempo em boas condições. “Estejam todos convidados para vir e ter algumas horas de descanso com família e amigos. Todos podem vir e fazer pic-nic, tomar seu chimarrão, trazer o violão, a bicicleta e o coração cheio de alegria”, ressalta o superintendente da FME, Nilson Cruz.

Família presente no Viva Lages Melhor

Pai e filha escaparam de casa para fazer um passeio de domingo diferente. O representante comercial, Luís Ricardo Cavalheiro de Araújo, morador do bairro Vila Nova, tem orgulho por ter duas filhas atletas no vôlei da Associação de Voleibol Feminino de Lages (Avofel): Maria Eduarda de Souza, 12 anos, e Ana Luiza Souza de Araújo, de cinco. O programa rendeu para a pequena Ana Luiza, que teve a atenção do pai inteira para ela, pois a irmã estava doente e a mãe, que é professora, aproveitou a folga para se dedicar a pendências e adiantamentos do trabalho. A menina se esbaldou na areia com seus brinquedos de praia e corria para a rede a fim de sacar, cortar e bloquear.

Luís Ricardo também é atleta, jogador de futebol de campeonatos de final de semana e na segunda é dia de relaxar e jogar com os amigos na brincadeira. Ele esteve nos Jogos Comunitários de Lages (Jocol) pelo Vila Mariza, ACBV do Várzea e Guarani do Habitação. “A esporte corre nas nossas veias e este evento aflora nossa paixão. As meninas trazem a rede e a gente sempre vem aqui. Minhas filhas adoram e eu aprovo porque é bom para as saúde delas.”

A presidente da Associação de Voleibol Feminino de Lages (Avofel), Regia Favero, além do trabalho na entidade, é mãe da atleta Isabele. A instituição possui 100 garotas atletas com idade entre seis e 16 anos no projeto e marcou presença nas duas primeiras edições do Viva Lages Melhor. “No primeiro dia viemos com 25 meninas e desta vez chegamos a umas 30. A realização do evento é fundamental porque além de integrar as famílias, é um centro de lazer para praticar esporte, se divertir dando boas risadas e aproveitar o final de semana socializando entre amigos.”

Isabele Favero Lima, 12 anos, joga vôlei há sete e na Avofel está há três anos. Ela estuda no Colégio Santa Rosa de Lima, pelo qual também defende a camisa no vôlei nas competições. O Viva Lages é a deixa para ela encontrar as amigas. “Nos domingos eu costumava fazer as tarefas da escola e assistia TV. É melhor sair e jogar, fazer uma atividade ao ar livre. Eu gosto de vir pra cá.”

A Associação Lageana de Voleibol (ALV) existe há 13 anos e atende 65 garotos entre nove e 17 anos. O presidente Silvio Rogério Lima (Chico) lembra que são trabalhadas categorias de base e de rendimento, e com vistas para a Olesc (de 14 a 16 anos) e Joguinhos Escolas de Santa Catarina (15 a 18 anos). Em 2018 mantinha três polos: Ginásio Jones Minosso, Escola Municipal de Educação Básica (Emeb) Santa Helena e Colégio Militar Feliciano Nunes Pires. Atualmente o trabalho se concentra no Jones Minosso. “O evento Viva Lages Melhor permite que os guris reforcem laços de amizade.” A próxima competição será em 6 de abril em Fraiburgo, promovida pela Liga Serrana de Voleibol, envolvendo 16 atletas da faixa infanto-juvenil.

Os caras e a menina do jiu-jitsu

Professor de karatê e jiu-jitsu há 30 anos, Tarcísio Moreira, da TM Team, equipe credenciada junto à Confederação Brasileira de Jiu-Jitsu (CBJJ) ao lado das maiores equipes do mundo, mobilizou parte de seus alunos no tatame do Viva Lages Melhor. Instalada no Estádio Municipal Vidal Ramos Júnior, a escola tem alunos dos seis até 80 anos. A TM estreou no evento neste domingo (24 de março), convidada pela FME. “Eu estou arrepiado. Na minha adolescência isso aqui tudo era estrada de barro, não tinha nada. Hoje me emociono de poder transmitir um pouco do meu conhecimento e ver que a cidade está evoluindo.”

Sábio e defensor do claro entendimento da modalidade, Tarcísio é mestre nas explicações. “A gente passa uma tarde se divertindo, mostrando que o jiu-jitsu não é uma modalidade só de luta, mas integração de raças e níveis sociais, o mais importante do esporte. A arte marcial surgiu há mais de cinco mil anos, desenvolvida na Índia e chegou ao Brasil pela Família Gracie, no Rio de Janeiro. Hoje o Brasil é o celeiro da arte marcial. A procura pelo jiu-jitsu é muito grande. O jiu-jitsu é uma modalidade que educa e reeduca o indivíduo. Seu processo inicial é na ginástica preparatória e, após, desenvolvimento técnico, social, intelectual, moral e espiritual”, explica o estudioso mestre Tarcísio, dando uma verdadeira aula de história, uma das surpresas que podem acontecer no Viva Lages Melhor.

Dentro do fundamento, a modalidade é defesa, ataque, luta, concentração, posicionamentos. Ajuda no autocontrole e na decisão pela inteligência. É uma modalidade base para outras. São cinco mil técnicas básicas variáveis de movimento da arte mãe pela forma híbrida (agarrada), com trabalho de estrangulamento, chave de braço e de perna e queda, a origem para o MMA. Antigamente se chamava de taparia e não se utilizava luvas.

Viva Lages Melhor e viva a saúde

O mestre lembrou os benefícios do esporte aos seus alunos, um deles é o agente prisional Magner de Jesus, de 54 anos, faixa azul. Ele tem bronquite crônica e há três anos treinando chega a praticar duas vezes por dia. As vantagens do jiu-jitsu são tantas que nem remédios ele toma mais. Tem o poder de melhorar a respiração e a circulação sanguínea. “Pretendo fazer uma seleção nas escolas e alunos meus serão instrutores numa ação filantrópica a crianças e adolescentes”, adianta o mestre Tarcísio.

O vigilante Marcos Tavares, 45 anos, pratica jiu-jitsu há 16, é faixa preta e se livrou da depressão e das crises de ansiedade em virtude do esporte. “Superei esse déficit. Nunca parei e nem vou parar de fazer. Fez bem para o meu psicológico, para o físico e minha qualidade de vida, suporte para meu controle, pois lido com pessoas todos os dias. Minha filha de 15 anos também pratica. Estar aqui me faz relaxar.”

Meg Giacomozzi, faixa azul, e no jiu-jitsu há seis anos, levou o filho Luiz, quatro meses, para aproveitar o Viva Lages Melhor. Com seu quimono rosa, era a única mulher no tatame. “É um dia bem agradável”, concluiu.

Texto: Daniele Mendes de Melo - Fotos: Marcelo Pakinha