Aberta no dia 1º de março, a 6ª Vindima de Altitude termina neste fim de semana com um balanço muito positivo para os municípios produtores de vinhos e espumantes na Serra e Meio-oeste de Santa Catarina. Foi superada a expectativa de 50 mil visitantes durante as cinco semanas do mês que coincide com o início da colheita da uva e da produção de vinhos da nova safra. A programação da Vindima 2019 vai até domingo, dia 31, mas os interessados em conhecer as vinícolas, a gastronomia, o artesanato e as belezas naturais da região podem fazê-lo em qualquer época do ano, aproveitando a diversidade de atrações que ela oferece.

 

“A rede hoteleira de São Joaquim e região teve lotação completa em março, o que se deve ao sucesso da Vindima”, diz o coordenador do evento, Acari Amorim. O período costumava ser de baixo fluxo turístico, porque a maioria dos visitantes prefere se deslocar para a Serra a partir do fim do outono. “A Vindima beneficiou a rede hoteleira e de hospedagem em geral, os restaurantes, os cafés e o comércio local”, afirma Amorim, que também é proprietário de vinícola (Quinta da Neve) na região.

 

Os turistas vieram dos estados da região sul do país, mas também de São Paulo, Brasília e Rio de Janeiro. Além do vinho, eles se interessam por outros produtos locais, como a maçã, a carne frescal, o queijo e o mel. Até domingo, ainda dentro da programação da Vindima 2019, várias vinícolas oferecem opções de passeios, degustações, piqueniques, almoços e jantares harmonizados, sempre acompanhados de música instrumental ou regionalista.

 

A colheita, que vai até maio, deve chegar a um milhão de quilos de uvas, e a produção de vinhos e espumantes alcançará a marca de 1,2 milhão de garrafas, na previsão dos vitivinicultores. O ano de 2019 marca o 20º aniversário do plantio das primeiras parreiras nos municípios da Serra e Meio-oeste catarinense. Nem todas as vinícolas estão produzindo vinhos e espumantes, mas as que já atingiram este estágio colocam seus produtos nos principais centros consumidores do país.

 

“Praticamente todas as vinícolas já receberam prêmios nacionais e internacionais pela qualidade de seus vinhos”, diz Acari. “Este é um momento muito feliz para nós porque é quando aparece o resultado do ano inteiro de trabalho”, afirma o coordenador da Vindima. Hoje, o segmento gera em torno de dois mil empregos diretos em São Joaquim e municípios vizinhos.

A Vindima deste ano envolve as vinícolas D’Alture, Hiragami, Suzin, Quinta da Neve, Leone di Venezia, Vivalti, Villa Francioni, Villaggio Bassetti, Villaggio Conti, Vinhedos do Monte Agudo e Pericó (todas de São Joaquim), Abreu Garcia (Campo Belo do Sul), Serra do Sol (Urubici) e Thera (Bom Retiro).

 

A 6ª Vindima é organizada pela Associação Vinhos de Altitude Produtores e Associados, realizada via Lei de Incentivo à Cultura, com patrocínio da Zabot, Engie, Lamar Super Center e Oxford, apoio da Prefeitura Municipal de São Joaquim, BRDE, SESC, Santur, Boccati, Aproserra, IFSC, Governo de Santa Catarina, Sebrae, Terroir Villaggio e Souza Cruz, e viabilizada pelo Ministério da Cidadania e Governo Federal.

Paulo Scarduelli - Assessoria de Imprensa - Fotos: Divulgação Vindima