O projeto de uma máquina dosadora de sementes, elaborado por 92 estudantes e professores de quatro cursos do Senai de Lages, ficou entre os cinco finalistas do Prêmio Sebrae de Educação Empreendedora.  A prática lageana concorreu na categoria ensino profissional. O evento é uma iniciativa do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas empresas (Sebrae), que busca identificar, estimular, reconhecer e divulgar as melhores práticas da educação empreendedora no Brasil. Professores, alunos e técnicos da instituição participaram do evento nesta quarta-feira (29), em Florianópolis.  

A ideia do projeto é criar uma máquina que dosa porções de sementes para o consumo de pessoas que buscam uma alimentação mais saudável, especialmente em cantinas escolares. No modelo self service, o equipamento gera o valor gasto, mas não há um sistema de cobrança. Fica na consciência de cada um dos consumidores fazer o pagamento. “Além do fortalecimento do trabalho em equipe, estaremos incentivando as pessoas a terem hábitos mais saudáveis e disseminar a cultura ética”, diz o estudante Gabriel da Silva. 

Idealizado pelos alunos, coordenação e professores dos cursos técnicos em Mecatrônica e Automação e aprendizagem industrial Mecânico de Usinagem e Desenhista Mecânico, o projeto foi dividido em quatro fases de desenvolvimento: protótipo, desenho, fabricação e montagem. Atualmente, está entre a primeira e segunda, com previsão de conclusão para o final do ano. A professora Vanessa Rech explica que as atividades foram distribuídas conforme as competências técnicas de cada curso.

Durante o processo de ensino, nos cursos técnicos e aprendizagem industriais, é buscada a contextualização das atividades ou processos com intuito de aproximação com a realidade da área de atuação de cada curso. E isso está diretamente ligado ao empreendedorismo.  “Inserimos turmas de áreas diferentes construindo o mesmo equipamento, similar ao que acontece ao processo produtivo, onde existem áreas responsáveis por construir e desenvolver partes de produtos”.

Para os educadores, estão claras as questões relacionadas ao empreendedorismo. “Percebemos pelas atitudes dos estudantes que questionam e procuram saber sobre o assunto. Está obvio para eles que a sua profissão pode virar um negócio ou um produto viável e rentável financeiramente”, reforça o professor Dionatan de Liz. 

“Em nossas escolas Sesi/senai incentivamos projetos como este, que mobilizam competências técnicas e comportamentais na criação de ideias e solução de problemas. O empreendedorismo faz parte do itinerário formativo dos nossos alunos”, enfatiza a Gerente executiva Sesi/Senai Serra Catarinense, Silvia De Pieri Oliveira. 

Sobre o Prêmio

O Prêmio é um reconhecimento estadual, regional e nacional aos profissionais que desenvolveram boas práticas em educação empreendedora no Brasil. Os projetos inscritos pelas instituições devem apresentar produtos ou soluções que contribuam para que os alunos adquiram ou aprimorem atitudes, comportamentos e características que os levem a lidar melhor com situações do contexto dos negócios ou da vida, a refletirem sobre si mesmos, suas experiências e saberes, ou para empreenderem e conduzirem negócios.

Além disso, é imprescindível que a proposta possa servir de exemplo e estímulo para outras instituições de ensino a promoverem uma educação voltada ao empreendedorismo.

Catarinas Comunicação - Assessoria de Imprensa