O programa Gestão de Indicadores e Resultados (GIR), desenvolvido pelo Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas – Sebrae/SC, chega a Serra Catarinense para atender empresas de pequeno e médio porte que buscam crescimento e melhores resultados por meio de modelos avançados de gestão empresarial.

Santa Catarina possui cerca de 81mil empresas de pequeno porte – EPPs. Em cidades como Joinville, Blumenau, Criciúma e na capital Florianópolis, o GIR já está sendo desenvolvido. Desde que a metodologia aplicada pelo Sebrae nacional chegou ao estado houve um grande índice de aceitação e aproveitamento por parte dos empresários catarinenses.

Dados do Sebrae/SC, mostram que as empresas que entraram no projeto conseguiram aumentar suas vendas, faturamento, reduziram o endividamento e tiveram um crescimento considerável para cada ramo. A cidade de Lages, possui 1250 EPPs. É para auxiliar no desenvolvimento da gestão dessas organizações que o Sebrae expande o GIR também para a Serra.

“O empreendedorismo está na essência do catarinense. O foco é fazer com que a empresa consiga se desenvolver e, principalmente, recuperar o dinheiro do investimento no programa de forma eficaz e duradoura, destaca o gerente regional do Sebrae Serra Catarinense, Altenir Agostini.

Todo o trabalho tem foco em alcançar resultados fortes. O GIR é um programa inovador, desenvolvido por consultores especializados que trabalham durante 14 meses a gestão da empresa de forma atualizada e junto aos gestores preparam um plano de desenvolvimento para o negócio. “Não é um curso que o empresário aplica os conhecimentos quando lembra. Fica um legado na empresa, os consultores trabalham dentro do negócio para que esse crescimento se solidifique”, comenta o consultor do Sebrae, Patrício Francisco da Silva.

Cinco consultores trabalham no projeto atuando em segmentos diferentes. O consultor principal é chamado de “consultor padrinho”. Durante os três primeiros meses é ele quem acompanha a rotina da empresa para montar um planejamento de ações. No restante do período, o padrinho executa o projeto dentro da empresa e chama outros quatro consultores das áreas de vendas, recursos humanos, financeira e de operações e processos.

Quem pode participar:

Empresas de todos os setores podem participar do GIR, porém, é necessário cumprir alguns requisitos: empresas que possuem cerca de 20 funcionários; estrutura de departamentalização com no mínimo dois gerentes ou coordenadores de áreas diferentes; experiência de dois anos com a empresa e, principalmente, que os gestores tenham vontade de expandir o negócio. “Empresas que estão paradas e que pensam em ganhar apenas o necessário para sobreviver não terão um aproveitamento adequado da solução, é preciso querer inovar”, finaliza Patrício.

Por Catarinas Comunicação - Assessoria de Imprensa