O grupo de mulheres da Associação de artesanato Tramatusa entra para o cenário empreendedor com mais força. Elas estão inseridas no projeto do Sebrae/SC Entre Contrastes – da Indústria ao Artesanato Catarinense. A ação está sendo desenvolvida em vários municípios de Santa Catarina e prevê uma série de capacitações com foco no desenvolvimento sustentabilidade, mercado e no relacionamento com a indústria.

Em Lages, o projeto será desenvolvido no segundo semestre de 2019. As 20 integrantes iniciaram as atividades, com a palestra “Identidade Cultural no Artesanato – sua importância como diferencial competitivo”, realizada pela designer e consultora na área de design artesanal do Sebrae, Michele Laforga. 

Michele trouxe para as integrantes aspectos relacionados ao artesanato cultural e a valorização da história através das peças. “A identidade cultural é importante para agregar valor ao produto. O público quer ter uma referência, e essa referência é uma história que os artesãos conseguem passar através dos seus trabalhos”.

O gerente do Sebrae, Altenir Agostini, conta que essa abertura para a região iniciou no ano passado após uma exposição do grupo no Rio de Janeiro, no Centro de Referência do Artesanato Brasileiro (Crab). Agora, o projeto Entre Contrastes vem com o intuito de trabalhar a economia criativa através do artesanato e fixar alguns objetivos e incentivos para as empreendedoras. “Nós queremos mais do que apostar, queremos mostrar que o artesanato está nesse resgate cultural da nossa região, do nosso estado e do nosso país”, complementa.

Os objetivos e incentivos propostos para o grupo, foram apresentados pela consultora do Sebrae, Alessandra Koerich. Durante as etapas de preparação e acompanhamento o Sebrae/SC fortalecerá a sustentabilidade, foco no mercado e principalmente a parceria com a indústria regional. Além de desenvolver o empreendedorismo, autonomia, inovação e a valorização do produto. “A intenção desse projeto vai além dos objetivos e dos incentivos. Nós queremos desenvolver em cada uma delas um trabalho de economia criativa por meio do artesanato”, comenta Alessandra.

O trabalho desenvolvido pelo grupo faz parte de uma forte parceria com indústrias das regiões Serrana e Norte do estado. Todos os produtos são feitos a partir de fita tusa, material reciclado dispensado pela indústria papeleira e que nas mãos da mulheres artesãs tornam-se belíssimas peças decorativas.

A presidente da Associação Tramatusa, Edi Marcon, destaca a parceria com as indústrias e com o Sebrae já proporcionou ao grupo a participação em diversas feiras, exposições e eventos. “Nós já estivemos em feiras como a Mostra Casa Cor, eventos do próprio Sebrae e na nossa região como a Festa do Pinhão”.

Além do empreendedorismo e das parcerias o grupo desenvolve uma série de atividades sociais nas escolas públicas da cidade como forma de incentivar a aprendizagem do artesanato. “É uma forma de retribuir o apoio que recebemos das indústrias”, a presidente.

A Associação Tramatusa conta agora com apoio integral do Sebrae Lages até Janeiro de 2020, com palestras, oficinas e exposições.

Por: Catarinas Comunicação