Setembro é considerado o mês de conscientização e prevenção ao câncer de intestino e várias ações são realizadas em Santa Catarina promovidas pelas Sociedade Catarinense de Coloproctologia –SCCP, Sociedade Catarinense de Gastroenterologia – SCG e a Sociedade Brasileira de Endoscopia Digestiva Estadual SC – SOBED-SC. No Brasil, conforme dados do Instituto Nacional do Câncer (INCA), este tipo de tumor é o segundo mais comum entre as mulheres e o terceiro entre os homens.

Diante da importância do tema, Lages receberá no próximo sábado, 14, um mutirão de 20 colonoscopias em pacientes do Sistema Único de Saúde (SUS). A atividade especial acontecerá na Clinicolon em parceria com o Consórcio Intermunicipal de Saúde da Região Serrana (CIS - AMURES), entidade responsável pela seleção dos pacientes. De acordo com médico coloproctologista e presidente da Sociedade Catarinense de Coloproctologia, Eduardo Palma, este tipo de ação é importante para conscientizar as pessoas e identificar precocemente os tumores. “Percebemos um aumento representativo na incidência entre adultos jovens, por isso é importante fazer os exames preventivos. O câncer colorretal é altamente curável quando diagnosticado precocemente”, adverte Palma.  

Ainda no dia 14, das 14h às 18h, haverá um trabalho de divulgação e conscientização sobre o câncer de intestino com distribuição de material educativo e orientação para a comunidade no calçadão de Lages. Alunos de medicina da Universidade do Planalto Catarinense (UNIPLAC) serão voluntários nesta ação.

Em Florianópolis, o mutirão de colonoscopia acontece durante todo o mês de setembro no Hospital Universitário (HU). Chamado de mutirão de aceleração, o objetivo é realizar cerca de 200 exames no mês, quatro vezes mais do que em 2018, e acelerar o andamento da fila do SUS.

 

Débora Ferreira - Apoio Comunicação